Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

"Dei-lhe uma sova muito grande": Pai de Valentina confessa que espancou filha no dia 1 de maio

Sandro queria saber se a menina era vítima de abusos sexuais. Criança foi agredida cinco dias antes de morrer.
Tânia Laranjo 13 de Maio de 2020 às 12:21
Pai de Valentina à chegada do Tribunal de Leiria
Pai de Valentina à chegada do Tribunal de Leiria FOTO: Lusa
O pai de Valentina, Sandro, confessou que espancou violentamente a filha no passado dia 1 de Maio, cinco dias antes da morte da criança, em Peniche.

Segundo as declarações do arguido, a menina não queria contar se estava a ser vítima de abusos sexuais. Sandro admitiu que "deu uma sova muito grande" à criança.

O relatório da autópsia confirma que a menina apresentava lesões anteriores ao dia da sua morte, 6 de maio.

Nesse dia, Valentina voltou a ser violentamente agredida pelo pai. A menina acabou por morrer. Sandro transportou o corpo para a bagageira do carro.

De acordo com o depoimento de Márcia em tribunal, a madrasta conduziu depois o carro, com Sandro ao lado no lugar do pendura, e Valentina já morta e deitada no banco de trás. Acabaram por abandonar o corpo num local de mato, a 150 metros de uma estrada, num local sem iluminação, e com giestas. Márcia ajudou o marido a tapar o cadáver.

O Tribunal de Leiria decretou esta quarta-feira prisão preventiva para o pai e madrasta de Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta em Peniche.

Sandro Bernardo está acusado do homicídio qualificado e violência doméstica. Márcia está igualmente acusada de homicídio qualificado. Ambos os arguidos estão ainda acusados do crime de profanação de cadáver.

A madrasta da menina vai para a cadeia de Tires, enquanto o pai vai ficar em preventiva no Estabelecimento Prisional de Lisboa.
Valentina Sandro Peniche crime lei e justiça
Ver comentários