Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Pais contra o fecho de escolas

Cerca de 500 pessoas, entre crianças e encarregados de educação, juntaram-se ontem à tarde numa manifestação à porta da câmara do Marco de Canaveses para protestar contra o encerramento e a reordenação das escolas do concelho. “Deixem os nossos filhos serem doutores ou engenheiros” ou “Cumpra o que nos prometeu”, eram as frases que se podiam ler nos cartazes do protesto, na praça central da cidade que encheu.
21 de Abril de 2007 às 00:00
Protesto mobilizou cinco centenas de manifestantes
Protesto mobilizou cinco centenas de manifestantes FOTO: d.r.
Em causa está a carta educativa do concelho, aprovada na última reunião de câmara, que determina o fecho de escolas com vinte ou menos alunos. Também a falta de transporte das crianças foi lembrado. Os autarcas das juntas das freguesias de Vila Boa do Bispo e de Soalhães também criticam a futura localização das duas escolas básicas integradas, previstas para Ariz e Rio de Galinhas, alegando que as localidades escolhidas não têm a mesma centralidade e concentram menos alunos.
Josefa Cunha, uma encarregada de educação residente no Torrão, lamentava na manifestação o fecho da escola: “Com o encerramento da escola na minha freguesia, a minha filha terá de andar a pé vários quilómetros para obter educação”, disse ao CM aquela mãe, que também participou num abaixo-assinado espontâneo da população.
No total, está previsto o encerramento de 25 escolas do primeiro ciclo e treze jardins de infância, sendo que no final deste ano o documento aponta para o fecho imediato de seis estabelecimentos de ensino.
No final da manifestação, a autarquia marcoense recebeu uma comissão de pais para ouvir as exigências dos encarregados de educação. Para apaziguar os ânimos, a câmara está a promover sessões de esclarecimento onde os pais também já manifestaram o descontentamento.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)