Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

PAIS DEVEM TER CONFIANÇA

Nelson Lima, psicólogo e formador de professores, defende que a atitude dos alunos é fundamental para que possam ainda recuperar no período mais crítico do ano escolar.
27 de Abril de 2003 às 00:00
Correio da Manhã - O terceiro período está aí e com ele as avaliações. Pela sua experiência, como descreveria o estado de espírito dos alunos com algumas negativas?
Nelson Lima - De uma maneira geral, encontram-se dois tipos de atitude nos alunos: a de ‘braços caídos’, ou seja a daqueles que acham que já é demasiado tarde, e os que ainda acreditam, porque têm notas mais próximas da positiva e com esforço ainda podem passar. Tudo depende da atitude do aluno. O meu medo, como formador de professores, é que os docentes se orientem demasiado pelas avaliações que na verdade são um mal necessário.... mas que por vezes são muito injustas.
- Podem estar preocupados, ansiosos?
- Sim e também um certo ‘stress’, uma fadiga... até em resultado da rotina e dos esforços ao longo do ano. E depois a ansiedade é a pior companheira de um aluno. Tal como ‘stress’. Mas os alunos estão cansados de ir todos os dias para a escola... Há também um esvaziamento da energia inicial. No início do ano há aquele entusiasmo, uma imensa vontade. Agora, próximo do final do ano e das avaliações, quem se poupou e soube preservar está mais bem preparado para enfrentar este período. Esses até podem encarar este período com uma certa alegria. Os outros...
- Mas há esperança?
- Há, claro, e não devem desistir. Mas o problema é que os professores já formaram a sua opinião. Funcionam muito autonomamente e não estão habituados a pensar em equipa. Por outro lado, valorizam muito os períodos de avaliação. Até mais que o percurso do aluno ao longo do ano. E essa atitude do professor também influencia a atitude do aluno. E o meu conselho, para os professores, é que não se deixem atraiçoar pelas opiniões que já formaram sobre os alunos.
- O que podem fazer os alunos para enfrentar da melhor maneira esta época, se já estão com negativas?
- Primeiro, têm que impressionar os professores e demonstrar que se estão a esforçar. Devem mudar de atitude perante o professor e mostrar que estão dispostos a esforçar-se. Mas com toda a honestidade e não fazer de conta que estão a estudar e na verdade não o estarem a fazer. E, depois, agarrarem-se às disciplinas fundamentais e gerir o tempo de forma a dedicar-se àquelas que precisam de subir as notas. E deixar de lado as outras. Por fim, devem acertar as baterias para a organização do tempo para que possa haver progressos.
- E os pais? O que devem fazer para ajudar os alunos nesse esforço?
- Devem ter, sobretudo, muita tranquilidade. Se entrarem em pânico ou se começarem a exercer uma pressão constante, isso vai sufocar qualquer bom esforço que o aluno pretenda fazer. Devem também transmitir que têm confiança no que o filho vai fazer e acreditar nele. A confiança dos pais é muito importante para que o aluno se possa dedicar e se esforçar nos estudos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)