Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Pais pagam serviço que não querem

A prestação de serviços em bloco – refeições e actividades de tempos livres (ATL) – numa escola de acolhimento em Vila Verde, na Figueira da Foz, está a revoltar os pais, que não podem prescindir de uma das valências, mesmo que dela não necessitem. Se quiserem apenas almoçar, os miúdos têm de levar a comida, talher, prato e copo.
15 de Outubro de 2006 às 00:00
Fátima Alemão só quer que o filho almoce na cantina escolar
Fátima Alemão só quer que o filho almoce na cantina escolar FOTO: Jorge Lemos
Nesta situação encontram-se algumas crianças do 1.º Ciclo da Fontela, porque os serviços da Associação Goltz de Carvalho (AGC), que assegura a alimentação e promove as actividades de tempos livres, não admite o fornecimento parcelar.
O casal Fátima e Vítor Alemão gasta mais de 100 euros por mês pelo serviço, mas só precisa das refeições, que custam perto de 40 euros mensais (1,5 a 2 euros por dia).
“Nós queremos pagar as refeições, mas só isso. Não nos podem impor outros serviços que não queremos e dos quais não necessitamos”, disse Fátima Alemão.
António João Paredes, responsável pela AGC, explica que o acordo foi feito com a Segurança Social, autarquias e agrupamento de escolas, e inclui refeições e promoção de actividades lúdico-pedagógicas, e diz que a associação não é uma “empresa de ‘catering’ ou de transportes”. A solução passa por a autarquia investir, “a exemplo do que aconteceu noutros concelhos, em infra-estruturas nas escolas, nomeadamente refeitórios”.
A vereadora da Educação da Câmara da Figueira da Foz, Teresa Machado, diz que “a Junta de Freguesia e a AGC, em parceria com o agrupamento escolar, deverão arranjar uma solução na qual impere o bom senso”. A autarca defende, contudo, “a não obrigatoriedade de pagar um serviço que não é necessário. Se os pais não querem, não devem pagá-lo”. A exemplo, aliás, do que acontece com os restantes contratos de serviços com outras instituições particulares de solidariedade social do concelho.
A Segurança Social financia dois modelos: os ATL clássicos e os serviços de refeição, acrescidos de prolongamento de horário, das 17h30 às 19h30. Em Lares, também na freguesia de Vila Verde, foi constituída uma comissão de pais que, por não concordar com as soluções propostas, contratou outra entidade para fornecer as refeições e prestar os restantes serviços. Pagos conforme as necessidades individuais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)