Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Pancadaria no final da festa

Terminaram num arraial de pancada as comemorações do 31.º aniversário da independência de Angola – que começaram no sábado, em Vilamoura, no Algarve, e se prolongaram pela madrugada de domingo. A festa da independência (11 de Novembro de 1975) foi organizada pela Associação de Amizade PALOP/Algarve (AAPA), nas instalações do antigo casino de Vilamoura.
20 de Novembro de 2006 às 00:00
“Um casal travou-se de razões, o homem agrediu a mulher e isso serviu de rastilho para que um grupo se pegasse á pancadaria”, disse ao CM um participante na festa que pediu o anonimato.
“Eram já três e meia da madrugada e o notório estado de embriagues de alguns dos intervenientes na zaragata não ajudou a serenar os acontecimentos”, disse ainda a mesma fonte.
Os três militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) presentes no local e os vários elementos de uma empresa privada não conseguiram dominar a situação.
A GNR destacou para o local reforços constituídos por uma dezena de militares. “Mesmo assim, um português, de 20 anos, agrediu um dos militares com um empurrão, não lhe causando ferimentos. Resistiu depois à detenção e proferiu injúrias”, informou uma fonte da GNR. Foi mesmo detido e conduzido ao posto, sendo hoje presente a Tribunal para aplicação das medidas de coacção.
A festa, que segundo a organização juntou perto de 500 pessoas, contou com a presença do embaixador de Angola em Lisboa, Assunção dos Anjos, e de vários funcionários da missão diplomática e consular.
SEGURANÇA
“Dentro do recinto tudo correu num ambiente festivo e de grande camaradagem”, salientou ao CM Fernando Rocha, presidente da AAPA, que realçou o cuidado da organização em contratar o serviço gratificado de elementos da GNR e de uma empresa privada, além de uma dezenas de seguranças privados da organização.
“Como estas festas, que servem para consolidar os laços de amizade entre os africanos na região, têm, no passado, descambado em cenas de violência, este ano tivemos muito cuidado com este aspecto”, afirmou Fernando Rocha que salientou a homenagem prestada, durante o evento, a Elisabeth Simbrão, que vai deixar o consulado angolano.
VIZINHOS FURTARAM MOCHILA
O furto de uma mochila, com vários objectos pessoais, a uma senhora participante na festa africana, foi o único incidente registado pelas autoridades dentro do antigo casino de Vilamoura. “Os nossos militares contratados, como gratificados para a segurança no local, foram alertados para o furto e, de imediato, alertaram os militares do posto de Vilamoura”, contou ao CM fonte da GNR de Loulé.
Uma patrulha, num jipe, efectuou uma ronda e surpreendeu quatro jovens, três raparigas e um rapaz, de idades compreendidas entre os 14 e os 20 anos, junto ao estádio do Quarteirense, na posse da referida mochila. Detido o quarteto, a força da GNR foi surpreendida pela reacção da dona da mochila. “São meus vizinhos, pelo que não quero apresentar queixa”, afirmou aos elementos da GNR que, perante esta decisão, tiveram de libertar os quatro jovens.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)