Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

PARQUE EM ALTURA NA FEIRA POPULAR

Já há ideias para o futuro parque de diversões a construir na Feira Popular de Lisboa. Segundo Rodolfo Crespo, presidente da Fundação 'O Século' - entidade que gere o recinto da feira - está decidida a construção de um parque em altura, ou seja, com vários pisos, onde serão instalados divertimentos, cinemas e restaurantes.
3 de Junho de 2003 às 00:00
O futuro recinto lisboeta terá divertimentos mais modernos
O futuro recinto lisboeta terá divertimentos mais modernos FOTO: Ramiro de Jesus
"O recinto terá ainda um parque de estacionamento subterrâneo", acrescentou ao Correio da Manhã, recordando que, segundo um encontro tido no dia 26 de Maio com o presidente da Câmara de Lisboa, Pedro Santana Lopes, este acrescentou que o futuro parque, a criar no mesmo local, ocupará dois terços dos cerca de cinco hectares onde está instalada a Feira Popular. "O restante terço - prosseguiu - destina-se à permuta a realizar entre a Câmara e os proprietários do Parque Mayer."
A proposta de 'troca' do presidente da Câmara prevê que os terrenos do Parque Mayer, propriedade da BragaParques e do Grupo Amorim transitem para a posse da autarquia que, em troca, dará "uma parcela de terreno [da Feira Popular] com a superfície necessária para a capacidade de construção acima do solo de 46 500 metros quadrados". Ou seja, 1/3 dos cerca de cinco hectares.
Ainda de acordo com a proposta, o futuro parque de diversões será pago pela BragaParques e Grupo Amorim e ficará na posse da autarquia. Aliás, para Rodolfo Crespo, falta acordar a gestão do parque. "Defendo que a Câmara deve conceder à Fundação a concessão do recinto por 99 anos", disse, lembrando que são as receitas da Feira Popular que financiam a obra social desenvolvida pela Fundação: lares para crianças em risco, creche e apoio domiciliário a idosos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)