Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Pastores da Estrela foram ao cinema

Hermínio Carvalhinho – o protagonista do filme ‘Ainda há pastores?’ – antecipou a ordenha das ovelhas e vestiu a melhor roupa para se apresentar “impecável” no Cine-Teatro de Gouveia, onde anteontem decorreu a apresentação do documentário. Com ele chegaram Maria Espírito Santo, de 83 anos, e Manuel Cagatas, de 87, duas outras personagens de uma obra que retrata a vida dura dos cada vez menos pastores que povoam aldeias inóspitas da Serra da Estrela. Meia centena desceram à cidade para, pela primeira vez, irem ao cinema ver a prestação dos companheiros da serra.
14 de Janeiro de 2007 às 00:00
Hermínio, de 32 anos, foi a estrela da noite, não só pela sua prestação no filme, mas pela postura, genuína, com que aborda a sua forma de vida. Dizendo-se “feliz” por ter participado no filme, Hermínio adianta que gosta daquilo que faz, mas não coloca de parte ele também abandonar a pastorícia.
“É uma vida muito dura. Eu gosto daquilo que faço, mas gostava um dia de experimentar outra coisa”, disse ao CM, salientando que tem o sonho de um dia “ir à praia para ver as mulheres e ao Brasil. “Mas tenho de arranjar alguém para me cuidar das ovelhas”, sublinha.
No filme, tal como na vida, Hermínio prima pela humildade e simpatia. Verdadeiro fã das músicas de Quim Barreiros, o pastor foi acolhido em Casais de Folgosinho por um casal que lhe deu comida, um ordenado e uma vida à medida das possibilidades. Mas até quando Hermínio será pastor? “Não sei. Este ano estive quase a desistir”, responde.
Ao contrário de Hermínio, Maria Espírito Santo e Manuel Cagatas foram pela primeira vez ao cinema. “Estou muito contente, gostei de me ver”, referiu timidamente a idosa que ainda hoje ‘corre’ atrás das suas quatro cabras.
Já Manuel Cagatas pendurou o cajado e, agora, não faz “nada”. “Já não tenho força nas pernas. É hora de descansar da vida dura que me calhou em sorte”, reconhece.
REALIZADOR SURPREENDIDO
Jorge Pelicano, o realizador de ‘Ainda há pastores?’, confessa que “não estava à espera da maneira como está a acontecer”. A exibição do filme na SIC “deu um bom impulso e foi fundamental, porque chegou a mais pessoas”. Os cenários fantásticos e as personagens foram “meio caminho andado para ter um bom filme”, que tem como fio condutor a vida do jovem pastor Hermínio. O documentário, que foi filmado ao longo de quase cinco anos e demorou oito meses a montar, contou com 80 horas de filmagem para terminar com 70 minutos. O filme ganhou o Prémio Lusofonia e uma Menção Honrosa do Júri da Juventude do CineEco’2006 – Festival de Cinema e Vídeo de Ambiente da Serra da Estrela.
PERFIS
- Hermínio Carvalhinho, de 32 anos, nasceu em Manteigas e é dos pastores mais novos da Serra da Estrela. É o protagonista do filme e tem como sonho ver o mar e ir ao Brasil.
- Maria Espírito Santo, 83 anos, enviuvou há 23 e recusa-se a abandonar Casais de Folgosinho, onde vive sozinha e cuida de quatro cabras.
- Manuel Cagatas, de 87 anos, vive em Folgosinho depois de ter sido pastor quase desde que nasceu. O octogenário não duvida que a pastorícia “tem os dias contados”.
Ver comentários