Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Peão indemniza polícia que o atropelou

Tribunal considerou que GNR reformado “não agiu com o dever de cuidado”.
Fátima Vilaça 27 de Junho de 2018 às 01:30
Fernando Gil irmão da vítima
Avenida da Liberdade, em  Braga, onde Vítor Gil foi atropelado
Fernando Gil irmão da vítima
Avenida da Liberdade, em  Braga, onde Vítor Gil foi atropelado
Fernando Gil irmão da vítima
Avenida da Liberdade, em  Braga, onde Vítor Gil foi atropelado
Vitor Gil, de 67 anos, foi atropelado por um agente da PSP, no dia 24 de junho de 2015, quando atravessava a avenida da Liberdade, em Braga, em dia de Festa de S. João. Agora, o peão foi condenado pelo Tribunal de Braga a pagar uma indemnização de 5285 euros ao polícia que o atropelou.

Vítor Gil tem ainda que pagar uma pena de multa de 900 euros porque, segundo o tribunal, "não agiu com o dever de cuidado que a travessia da rua impõe aos peões". O GNR aposentado está inconformado e já recorreu para o Tribunal da Relação de Guimarães.

"É impensável que alguém que leva uma pancada de um indivíduo que vem de moto em contramão e que vai cair a sete metros, seja responsabilizado pelo acidente." É o entendimento de Fernando Gil, irmão do militar da GNR atropelado e que foi agora condenado.

O familiar acusa o tribunal de ter "favorecido" o agente da PSP, que foi arguido no caso, mas que acabou por não ir a julgamento, por decisão do Tribunal de Instrução Criminal. Fernando Gil espera agora que os juízes desembargadores "reponham a verdade".

O atropelamento aconteceu entre duas passadeiras, às 16h20 do dia de S. João, em 2015, numa altura em que o trânsito não circulava devido à passagem do Carro das Ervas.

O Tribunal entendeu que Vítor Gil "atravessou a rua apressado e de forma desatenta", sem prever "a possibilidade de embate com o motociclo" da PSP, que seguia "em marcha urgente".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)