Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Peditório em café para livrar da cadeia

Está a crescer cada vez mais a onda de solidariedade para ajudar um homem de Valença, com problemas mentais, conduzido à cadeia, na quarta-feira, por não ter pago os 400 euros das custas judiciais de um processo no qual foi condenado. António Bouçós, de 50 anos, vai ter de cumprir nove meses na cadeia de Viana do Castelo. Os amigos estão a fazer um peditório para reunir o dinheiro necessário para libertar o homem.
28 de Janeiro de 2012 às 01:00
José Silva e António Sá estão a promover peditório para tirar o amigo António da cadeia
José Silva e António Sá estão a promover peditório para tirar o amigo António da cadeia FOTO: Fátima Vilaça

"Ninguém sabia que ele tinha esta dívida para pagar e fomos apanhados de surpresa quando"Soubemos que estava na prisão", contou ao CM José Silva, dono de um posto de abastecimento em Valença, mentor do peditório.

Os amigos de António Bouçós, que foi condenado por ter sido apanhado com quatro notas de 20 euros falsas, estão preocupados com a companheira do homem, que é "totalmente dependente dele", dizem. "Se ele lhe falta, ela morre. Não tem capacidade para fazer nada e ele era quem se preocupava em tratar dela", sublinha António Sá, da padaria Paval, onde também decorre o peditório.

Nas caixas existentes nos estabelecimentos os promotores acreditam haver já o dinheiro suficiente para a multa – esperam agora chegar a tempo de libertar o amigo. "É uma injustiça, acima de tudo, porque ele não fez mal a ninguém, só não teve dinheiro para a multa", rematam.

PRAZO PARA PAGAR CUSTAS TERÁ EXPIRADO

O objectivo dos amigos de Bouçós, de reunir os 400 euros para pagar as custas que deve ao tribunal, pode não valer de nada. Ao que o CM apurou, o prazo para o pagamento das custas expirou em Junho do ano passado. Sendo assim, António terá mesmo de cumprir os nove meses de prisão.

António Lusitano Bouçós foi condenado em 2008, pelo Tribunal de Valença, a três anos de pena suspensa e ao pagamento das custas judiciais, por ter sido apanhado com quatro notas falsas, de 20 euros. Na quarta-feira foi notificado pela GNR de Valença e foi, de imediato, conduzido ao Estabelecimento Prisional de Viana do Castelo.

AJUDA CADEIA VALENÇA CAFÉ
Ver comentários