Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Pedófilo em liberdade ameaça matar vítima

Deixado à solta pelo juiz, exercia coação sobre a criança, vizinha, para mudar depoimento.
Tiago Virgílio Pereira 12 de Janeiro de 2018 às 01:30
Pedófilo em liberdade ameaça matar vítima
Menina
Abuso sexual
Menina
Rapariga
Pedófilo em liberdade ameaça matar vítima
Menina
Abuso sexual
Menina
Rapariga
Pedófilo em liberdade ameaça matar vítima
Menina
Abuso sexual
Menina
Rapariga
O pedófilo começou a abusar da criança, na altura com 13 anos, em agosto de 2016, na Covilhã. É vizinho da vítima e um ano mais tarde foi denunciado e detido pela PJ da Guarda.

O juiz aplicou-lhe só a medida de coação de termo de identidade e residência, deixando-o à solta – e, desde então, o predador sexual de 40 anos exerce constante coação sobre a menina, quando a encontra na rua, na tentativa de fazer com que a vítima altere as declarações que fez às autoridades quando o denunciou. Chega, até, a ameaçá-la de morte.

Por esse motivo, os inspetores da Judiciária voltaram agora a deter o suspeito, no âmbito de um mandado judicial. Foi outra vez presente a um juiz no Tribunal de Castelo Branco e, desta vez, ficou proibido de contactar com a vítima – mas sempre mantendo-se em liberdade.

"O comportamento que este homem estava a adotar perante a vítima era inadequado e foi necessário, com a intervenção das autoridades judiciarias, parar a coação psicológica que vinha a fazer", diz José Monteiro, coordenador da PJ da Guarda.

Sobre o homem, que já foi condenado por ofensas à integridade física, recaem fortes indícios dos crimes de abuso sexual de crianças, atos sexuais com adolescentes e pornografia de menores.

Os abusos aconteceram durante um ano. O processo encontra-se na fase final, mas houve a necessidade de reapreciação da medida de coação devido ao comportamento do predador sexual que não tem qualquer ligação familiar com a adolescente, agora com 15 anos.

Aguarda em liberdade a acusação do Ministério Público. 

OUTROS CASOS
Explicador
O Ministério Público acusou um explicador de matemática, de 41 anos, de 159 crimes de abuso sexual de criança e oito de atos sexuais com adolescentes, em Viana do Castelo, entre 2013 e 2015.

Docente de Beja
Um professor foi detido por suspeitas de pelo menos 87 crimes de abuso sexual de crianças, alunas, menores de oito anos, numa escola do 1º ciclo do ensino básico do distrito de Beja.

Mil crimes
O Ministério Público acusou um homem, de 52 anos, pela prática de 1174 crimes de abuso sexual de crianças e 399 crimes de abuso sexual de adolescentes, entre 2011 e fevereiro de 2017.
juiz Guarda Covilhã Tribunal de Castelo Branco Ministério Público Viana do Castelo Beja professor
Ver comentários