Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Pena máxima para assaltantes corsos

O Colectivo de Juízes do Tribunal Judicial de Viseu condenou ontem três franceses da Córsega a penas entre os 24 e 25 anos de prisão por terem assaltado cinco dependências bancárias nas cidades de Aveiro, Coimbra e Viseu, sequestrado 18 pessoas, ferido dois polícias e incendiado duas viaturas.
14 de Julho de 2005 às 00:00
A PSP de Viseu e os serviços prisionais montaram um forte dispositivo de segurança para o julgamento
A PSP de Viseu e os serviços prisionais montaram um forte dispositivo de segurança para o julgamento FOTO: Luís Oliveira
O Tribunal deu como provado que os arguidos cometeram, em co-autoria, cinco crimes de roubo, 18 de sequestro, três de tentativa de homicídio qualificado, um crime de ofensas à integridade física grave, dois crimes de furto simples, um de dano simples, um crime de incêndio, um crime por posse ilegal de armas de fogo e um crime de resistência às autoridades policiais.
Perante este cenário, o colectivo condenou, em cúmulo jurídico, Sebastien Mattei a 25 anos de prisão, Eric Mussy a 24 anos e oito meses e Dominique Veronesi a 24 anos e quatro meses. Os dois primeiros já tinham estado presos por crimes de roubo e posse ilegal de arma.
Na leitura do acórdão a juiz, presidente descreveu o trajecto que os assaltantes fizeram nas duas vezes que estiveram em Portugal. No início de Julho de 2003 alugaram uma viatura na Córsega, hospedaram-se num hotel em Saragoça (Espanha) e no dia 7 desse mês assaltaram dois bancos em Aveiro. Voltaram à Corsega com 55 mil euros no bolso.
Ainda não satisfeitos, o trio corso regressou à Península Ibérica. Alugou um quarto num hotel de Ciudad Rodrigo e no dia 28 de Julho assaltou a dependência do BNC em Viseu e do Santader em Coimbra. Roubaram 150 mil euros e vão dormir a Espanha. No dia seguinte, voltam a Viseu e assaltam o Santander. No entanto, o trabalho dos assaltantes é travado pela PSP e GNR que os consegue interceptar após louca perseguição e troca de tiros.
O colectivo considerou que os corsos “actuaram com dolo, planearam os assaltos e usaram de violência” para fugirem às autoridades.
A advogada de defesa admite recorrer do acórdão e vai esperar que o processo transite em julgado para pedir a transferência dos arguidos para a Córsega. O trio foi condenado a pagar uma indemnização cível de 12 500 euros aos dois polícias feridos. Dada a perigosidade dos arguidos, a PSP de Viseu montou ontem no Tribunal de Viseu um forte dispositivo de segurança.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)