Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

PENSÕES CHEGAM EM 2004

A contagem do tempo de serviço dos militares que fizeram a guerra colonial para efeitos de aposentação e reforma vai estar concluída até ao final do ano, assegurou ontem o secretário de Estado Henrique de Freitas, na Batalha, durante as cerimónias do Dia do Combatente.
10 de Abril de 2003 às 00:00
Crianças assistem a passagem dos soldados durante as cerimónias
Crianças assistem a passagem dos soldados durante as cerimónias FOTO: Carlos Ferreira
Segundo o governante, até 31 de Dezembro todas as certidões comprovativas do tempo de serviço militar vão ser emitidas e enviadas à Caixa Geral de Aposentações e aos centros de Segurança Social.
“Em 2004, certamente, será aplicada a Lei 09/2002”, disse o secretário de Estado da Defesa e dos Antigos Combatentes, sem revelar a data em que começarão a ser pagos os complementos especiais de pensão e os acréscimos vitalícios de pensão.
A notícia foi recebida “com muito agrado” pelo presidente do Conselho Supremo da Liga dos Combatentes, general Altino Magalhães.
Em causa estão 500 mil homens, que fizeram a guerra entre 1961 e 1975 em Angola, Guiné e Moçambique, que estavam na Índia aquando da invasão dos territórios nacionais ou em Timor-Leste entre o 25 de Abril de 1974 e o dia da saída das Forças Armadas.
Estes e todos os que defenderam a pátria incorporados nas Forças Armadas foram recordados ontem, na 67.ª romagem ao túmulo do Soldado Desconhecido, no Mosteiro de Santa Maria da Vitória, que também assinalou os 85 anos da Batalha de La Lys.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)