Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

“Perdemos tudo o que tínhamos”

Uma das máquinas entrou em curto-circuito e queimou tudo, não sobrou nada. Eu e a minha família perdemos o que tínhamos." Foi ainda muito transtornado que Carlos Oliveira contou ao CM como começou o fogo que ontem destruiu a fábrica da qual é sócio, em Alfena, Ermesinde. Grande parte do material ficou destruído, e os prejuízos são avultados.
14 de Outubro de 2010 às 00:30
Muitas máquinas ficaram destruídas pelo incêndio que devastou fábrica têxtil em Alfena, Ermesinde
Muitas máquinas ficaram destruídas pelo incêndio que devastou fábrica têxtil em Alfena, Ermesinde FOTO: Nuno Fernandes Veiga

"Os prejuízos são elevados, rondam mais de uma centena de milhar de euros. As máquinas de tecelagem ficaram destruídas e não conseguimos recuperar nada do material informático", explicou o sócio Carlos Oliveira.

Ao que o CM apurou, as chamas começaram por volta das 02h20, altura em que apenas um funcionário se encontrava a trabalhar. Ao dar conta do fogo, o homem chamou de ime-diato os bombeiros, mas, por se tratar de têxteis, o fogo propagou--se rapidamente. "O funcionário ainda tentou apagar o incêndio, mas não conseguiu. Como trabalhamos com materiais têxteis, o fogo alastrou-se, e os bombeiros já não conseguiram fazer nada", relatou Carlos Oliveira.

A fábrica, que está aberta durante 24 horas, emprega 14 trabalhadores. No entanto, segundo afirma Carlos Oliveira, os empregos não estão em risco. "Vamos assegurar trabalho a toda a gente. Já prometemos isso aos funcionários", garante.

Ver comentários