Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Perícia atrasa ‘futuro’ de Amor

Mais de dois meses depois de pedida a perícia psiquiátrica a Amor Demétrio Silva, os resultados ainda não chegaram ao Tribunal de Faro. Ontem realizou-se mais uma sessão de julgamento mas apenas para que a prova já recolhida não seja perdida.
7 de Novembro de 2009 às 00:30
Amor Demétrio Silva é acusado de ter violado a filha, na altura de 19 anos, a 25 de Outubro de 2008
Amor Demétrio Silva é acusado de ter violado a filha, na altura de 19 anos, a 25 de Outubro de 2008 FOTO: Algarvephotopress

A perícia pode classificar o homem como inimputável e salvá-lo da cadeia, apesar de ser acusado de violação da filha quando estava em liberdade condicional por outras cinco violações a prostitutas.

A perícia, que pode ajudar Amor Demétrio a escapar da cadeia apenas com aplicação de uma medida de internamento, foi solicitada ao Instituto Nacional de Medicina Legal (INML) no início de Setembro. Isto depois de os magistrados ficarem com dúvidas sobre a capacidade de discernimento de Amor Demétrio quando violou a filha.

Em Outubro, os juízes reforçaram o pedido mas, até ontem, os resultados do INML não chegaram. “Situação, infelizmente, normal”, segundo António Ventinhas, dirigente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público.

“A lentidão da Justiça não se deve apenas ao funcionamento dos tribunais mas, na maioria das vezes, dos serviços externos, que levam muito tempo a responder aos pedidos”, lamenta. Em alguns casos, os resultados das perícias, segundo António Ventinhas, “chegam a demorar um ano”.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)