Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Perigo com armadilhas para pombos nas ruas de Faro

Bagos de milho com pregos são encontrados na cidade farense com regularidade.
Tiago Griff 16 de Outubro de 2020 às 08:47
Pombos alimentam-se junto da capela de S. Luís
Pregos espetados no milho
Paulo Batista denunciou caso
Pombos alimentam-se junto da capela de S. Luís
Pregos espetados no milho
Paulo Batista denunciou caso
Pombos alimentam-se junto da capela de S. Luís
Pregos espetados no milho
Paulo Batista denunciou caso
Pequenos pregos inseridos em bagos de milho com o objetivo de matar pombos continuam a ser encontrados nas ruas da cidade de Faro. A última vez que estas armadilhas foram denunciadas, em agosto, o milho adulterado tinha sido encontrado na zona do Mercado Municipal e do cemitério da Boa Esperança. Recentemente, o CM sabe que foram espalhados próximo da capela de São Luís, onde geralmente os pombos se alimentam. Já foram apresentadas queixas no Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR e na Câmara de Faro, que já veio a público repudiar "práticas que violem a dignidade animal".

"São atos maldosos e cruéis e que trazem grande sofrimento aos pombos que apenas se estão a tentar alimentar. Lamentamos a recorrência destas situações", diz ao CM Paulo Batista, do partido Pessoas–Animais–Natureza (PAN). O dirigente refere que, caso seja necessário fazer um controlo da população destas aves, deve ser feito de forma "ética", através da criação de uma "rede de pombais contracetivos". E aponta para outros perigos com a proliferação deste método para matar pombos: "Há outros animais, alguns de estimação, que passam pelos locais onde estão a ser postos estes bagos de milho com pregos e podem ingeri-los. Também há crianças que vão brincar para estes sítios, pondo em causa a sua segurança."

Paulo Batista alerta que não há bases científicas que sustentem que os pombos ponham em causa a saúde pública.
Ver comentários