Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

PESCADOR MORTO EM ÁRVORE

O corpo do pescador desaparecido no domingo na Ribeira de Santarém foi recuperado ontem, pelas 17h15, junto à ponte de Porto Muge, a 15 quilómetros de distância.
16 de Setembro de 2004 às 00:00
O cadáver de João Augusto da Costa Coelho, de 48 anos, foi encontrado por um amigo, que participava nas buscas com os bombeiros desde segunda-feira.
“O homem estava empoleirado numa árvore seca, de bruços, no meio do Rio Tejo, a dez metros da margem”, disse Adriano Simplício, o amigo da vítima.
A descoberta do corpo causou um “grande choque” a Adriano Simplício, que na altura estava acompanhado de um primo do pescador. “Tivemos que ganhar muita coragem para o retirar do local”, disse.
Estes dois participantes nas operações de busca seguiram o percurso de uma ovelha morta que boiava nas águas do Tejo e foi na sequência dessa acção que viriam a encontrar o cadáver do homem.
João Coelho, que os amigos tratavam por “Manuta”, era solteiro, natural e residente em Ribeira de Santarém, e conhecia o Tejo “como as suas próprias mãos”. No entanto, no domingo à tarde, alguma coisa estranha aconteceu quando estava à pesca, acabando por ser arrastado pelo rio.
No local onde estava foram encontradas as canas de pesca, encostadas a um choupo, a maleta com os artefactos da actividade, tabaco e um isqueiro.
“Foi alguma coisa que lhe deu”, disse a sua tia e madrinha, Cesarina Custódia, que ontem à tarde assistiu ao fim das buscas e à recolha do cadáver, na companhia de outros famílias da vítima, bastante consternados com os acontecimentos.
As buscas começaram na segunda-feira à tarde e envolveram mergulhadores dos Bombeiros Municipais de Santarém (BMS), que deram o seu trabalho por terminado durante a manhã ontem.
“As condições de mergulho eram muito difíceis, devido à falta de visibilidade, que não ia além de um palmo, e à grande variação dos caudais”, explicou Pedro Carvalho, comandante dos BMS.
As operações continuaram com recurso a embarcações, junto às margens e antes, na terça-feira à tarde, chegou a ser utilizado um helicóptero do SNB. Uma equipa de busca e salvamento da GNR, apoiada por cães, também foi mobilizada, mas não chegou a intervir, porque, entretanto, foi descoberto o cadáver.
João Coelho era uma pessoa muito conhecida na Ribeira de Santarém e costumava passar os tempos livres à pesca no Tejo, uma actividade que exercia como amador, pois era funcionário do Ministério do Ambiente, em Santarém.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)