Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

PGR quer magistrados humildes

O procurador-geral da República (PGR) pediu ontem, em Coimbra, “que haja humildade do Ministério Público”, não devendo os magistrados limitar-se às questões de legalidade, mas antes a ajudar os cidadãos.
6 de Dezembro de 2007 às 00:00
Pinto Monteiro
Pinto Monteiro FOTO: Paulo Novais, Lusa
Pinto Monteiro, que falava nas comemorações do Dia da Faculdade de Direito da Universidade, referiu que, ao exercer a sua actividade, o MP “está a contribuir para o bem-estar do cidadão”, não podendo limitar-se às funções estatutárias de controlo da legalidade, devendo agir também como defensor dos interesses dos cidadãos.
Quanto aos homicídios violentos ligados a ajustes de contas nas noites do Porto e de Lisboa, o PGR considerou não haver razões pa-ra alarme em relação ao crime organizado.
“O crime assume hoje uma organização mais completa, o que aumenta a sua qualidade.” Isso não significa que tenha aumentado, disse Pinto Monteiro, adiantando que para dar resposta a esta nova criminalidade é essencial que os métodos de combate sejam melhorados a fim de se tornarem mais eficientes.
“O Governo está a fazer um esforço para colocar bases de dados com informáticos, que é um recurso sério para combater aquilo que é um aumento da eficiência do crime organizado”, exemplificou o procurador.
Ver comentários