Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

PJ perde o rasto a Pedro Dias

Não existem pistas credíveis sobre o duplo homicida há uma semana.
Tânia Laranjo e Fátima Vilaça 28 de Outubro de 2016 às 01:45
PJ perde o rasto a Pedro Dias
A Polícia Judiciária não tem qualquer pista credível sobre o paradeiro de Pedro Dias há quase uma semana. Os únicos indícios considerados fidedignos foram encontrados no passado sábado numa quinta em Paços, Sabrosa, onde o duplo homicida de Aguiar da Beira terá feito refeições e visto até televisão.

A GNR e os inspetores da Judiciária permanecem por isso nesta zona a fazer diversos patrulhamentos. As autoridades aguardam neste momento pelo surgimento de novos indícios e continuam a investigar as várias ligações de Pedro Dias naquela zona.

Entretanto, outros furtos, nomeadamente de um jipe, arrombamentos de casas abandonadas e até avistamentos foram comunicados às autoridades, mas a PJ não conseguiu confirmar que efetivamente tenha sido Pedro Dias, de 44 anos, a ter estado nesses locais.

Sabe-se agora que o duplo homicida, que nasceu em Angola, tem dupla nacionalidade. Chegou aliás a equacionar ir viver para aquele país pouco antes de ter começado a trabalhar na África do Sul. Um dia após os crimes terem sido cometidos, as autoridades portuguesas, através do SIRENE – gabinete de segurança interna para todo o território europeu – emitiram um mandado de detenção europeu para a captura de Pedro Dias.

Trata-se de um procedimento normal nos casos em que há probabilidade de os arguidos poderem fugir do país. As autoridades pediram também de imediato ao Ministério Público a emissão de mandados de captura internacionais.

Através do CM, Paulo Sampaio, um dos amigos que Pedro Dias tem em Vila Real e que possui uma quinta de cavalos, voltou a fazer um apelo para que o duplo homicida termine a fuga que dura já desde o dia 11 deste mês.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)