Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

PJ prende homem que tentou matar

Sem aceitar o final da relação com Vera Dalotte, 24 anos, Bruno, cerca de 30, estava corroído pelo ciúme, com medo de que a ex-companheira refizesse a sua vida. Anteontem à noite, foi até à casa que ambos dividiram no bairro do Barrão, no Montijo. Discutiram, mas ela virou-lhe as costas. Foi a oportunidade que Bruno esperava. Atingiu-a duas vezes e fugiu. Deambulou várias horas durante a madrugada de ontem e entregou-se no posto da GNR do Poceirão – que já tinha sido alertada pela PJ.
24 de Dezembro de 2012 às 01:00
Bruno invadiu a casa, onde viveu com a ex-companheira, por uma janela. Inspectores da Polícia Judiciária de Setúbal efectuaram perícias no local anteontem
Bruno invadiu a casa, onde viveu com a ex-companheira, por uma janela. Inspectores da Polícia Judiciária de Setúbal efectuaram perícias no local anteontem FOTO: Bruno Colaço

Bruno – natural do Algarve – esperou que anoitecesse para invadir a casa da ex-companheira. Entrou por uma janela, mas Vera apercebeu-se do barulho. Ao mesmo tempo que discutia com o suspeito, a vítima saiu de casa, com receio de que algo acontecesse. Já na rua, foi atingida com um primeiro disparo. Aos gritos, desesperada por ajuda, correu vários metros e acabou atingida uma segunda vez. Foi junto a uma casa – que ontem ainda tinha marcas de sangue – que conseguiu pedir auxílio. Foi levada ao Hospital do Barreiro pelos Bombeiros do Montijo. Encontra-se estável mas cravejada de chumbos, nos pulmões e no fígado.

Ontem de madrugada, passadas várias horas da tentativa de homicídio, Bruno deambulou pela estrada de Rio Frio, que liga o Montijo ao Poceirão. Percorreu mais de 22 quilómetros para se entregar. Foi chamado à PJ e informou os inspectores sobre o local onde abandonou a arma usada no crime.

Segundo o CM apurou, Vera já tinha apresentado queixa por violência doméstica. Da relação que manteve com Bruno, nasceu uma menina, com um ano. Agora sob a alçada da Polícia Judiciária de Setúbal – que investiga o crime –, vai ser ouvido hoje em tribunal, tendo já antecedentes criminais por assaltos.

MONTIJO HOMICÍDIO TENTATIVA MULHER JUDICIÁRIA
Ver comentários