Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

PJ sem pista para corpo amarrado

Sem qualquer pista, a Polícia Judiciária de Vila Real continua a tentar resolver o mistério que envolve a mulher encontrada morta, há uma semana, na barragem de Bagaúste, rio Douro, em Lamego. A vítima, aparentando ter entre 30 e 40 anos, foi vista por um grupo de pescadores. O cadáver encontrava-se envolvido em fios de arame, nos quais estava pendurada uma pedra. A PJ continua a acreditar na tese de crime.
5 de Dezembro de 2010 às 00:30
Corpo foi encontrado na barragem de Bagaúste há uma semana por pescadores
Corpo foi encontrado na barragem de Bagaúste há uma semana por pescadores FOTO: direitos reservados

O facto de a mulher ter sido assassinada é a única certeza dos investigadores, apesar de a autópsia ao cadáver, em avançado estado de decomposição, se ter revelado inconclusiva. Ao perito do Instituto de Medicina Legal não foi possível apurar a causa da morte da vítima, nem saber se esta foi atirada ainda com vida para a barragem.

Também a identidade da mulher continua desconhecida, numa altura em que a Judiciária já rastreou as informações de todas as pessoas dadas como desaparecidas, nenhuma delas se enquadrando nas características da vítima, encontrada ao final da tarde do passado dia 28 de Novembro.

Em estreita colaboração com as restantes forças policiais, os inspectores já confirmaram que o cadáver encontrado não coincide com nenhum caso de investigação policial que ainda esteja aberto.

A autópsia também não permitiu apurar há quanto tempo a mulher estava no rio, nem quando morreu, o que tem dificultado o trabalho da Polícia Judiciária.

Recorde-se que o corpo, que foi encontrado vestido, terá sido amarrado com arames, e uma pedra presa aos mesmos manteria o cadáver no fundo da barragem. No entanto, foi encontrado a boiar.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)