Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

PJ vai a Paris buscar homem que matou jovem junto a discoteca Lick no Algarve

António Tavares baleou Lucas Leote na cabeça à porta de espaço de diversão noturna.
Rui Pando Gomes 26 de Agosto de 2020 às 01:30
Polícia Judiciária fez perícias junto à porta da discoteca Lick onde foram feitos os disparos
Lucas Leote tinha 19 anos quando foi morto a tiro na madrugada do dia 23 de agosto de 2019
Lucas Leote tinha 19 anos
Funeral de Lucas Leote
António Tavares, de 21, matou a tiro após não conseguir entrar no espaço
Polícia Judiciária fez perícias junto à porta da discoteca Lick onde foram feitos os disparos
Lucas Leote tinha 19 anos quando foi morto a tiro na madrugada do dia 23 de agosto de 2019
Lucas Leote tinha 19 anos
Funeral de Lucas Leote
António Tavares, de 21, matou a tiro após não conseguir entrar no espaço
Polícia Judiciária fez perícias junto à porta da discoteca Lick onde foram feitos os disparos
Lucas Leote tinha 19 anos quando foi morto a tiro na madrugada do dia 23 de agosto de 2019
Lucas Leote tinha 19 anos
Funeral de Lucas Leote
António Tavares, de 21, matou a tiro após não conseguir entrar no espaço

Um ano depois de ter matado a tiro Lucas Leote junto à porta da discoteca Lick, em Boliqueime, Loulé, e de ter fugido para França, António Tavares regressa esta quarta-feira a Portugal na sequência do processo de extradição desenvolvido após ter sido capturado nos arredores de Paris.

Segundo o CM conseguiu apurar, o homicida foi ouvido duas vezes por um juiz francês e não colocou objeções à extradição para Portugal para ser julgado. 



As autoridades francesas deram andamento ao processo e os inspetores da Diretoria do Sul da Polícia Judiciária (PJ) viajaram esta semana para França para trazerem o homicida de volta ao Algarve, onde foi cometido o crime. Deverá ser apresentado esta quinta-feira a um juiz de instrução criminal que lhe irá aplicar as medidas de coação enquanto aguarda pelo julgamento.

O homicídio ocorreu na madrugada do dia 23 de agosto do ano passado junto à porta da discoteca algarvia. Lucas Leote foi morto a tiro, por engano, depois de o homicida ter sido barrado pelos seguranças à entrada do espaço de diversão noturna.

António Tavares, de 21 anos, foi considerado o principal suspeito. Fugiu logo após o crime, cortou o cabelo de imediato e escondeu-se na casa de uma amiga, nos arredores de Paris.

Tendo em conta a gravidade do crime e o facto de ter fugido, tudo indica que irá ficar em prisão preventiva. Arrisca uma pena de 25 anos de cadeia, caso seja condenado pelo crime de homicídio qualificado.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)