Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

POLÍCIA AEROPORTUÁRIA ENVOLVIDA NO TRÁFICO

Os cerca de 400 quilos de cocaína apreendidos a 24 de Outubro no jacto ‘Citation X’ da Air Luxor, entraram no Aeroporto de Maquetia pela mão de dois venezuelanos e, ao que tudo indica, com a cumplicidade de dois funcionários da segurança daquela estrutura aeroportuária, soube o CM de fonte ligada ao processo.
9 de Novembro de 2004 às 00:05
Pouco depois da apreensão da droga, que levou à detenção da tripulação do avião português e das três passageiras, portuguesas também, os efectivos do Comando Antidrogas da Guarda Nacional descobriram que a cocaína foi levada para o terminal auxiliar do Aeroporto Simão Bolivar, em Maquetia, num veículo de carga da companhia aérea Santa Bárbara, conduzido pelo venezuelano Leonardo González Oyoque, acompanhado por outro cidadão daquele país, Jaiker Yumil Guedez.
A parelha de traficantes passou no controlo da Polícia Aeroportuária, onde estavam os agentes Miguel Angel Sánchez e Benito Escobar Quijada, que lhes foi abriram a cancela e lhes franquearam a entrada, “sem ser feita a revista da carga nem solicitada a documentação requerida para aceder à placa”.
Entretanto, o jacto ‘Citation X’ da Air Luxor, apreendido às ordens das autoridades judiciais venezuelanas, foi transferido do Aeroporto Simão Bolivar, Maquetia, para o de La Carlota, em Caracas, onde permanecerá sob a custóia do Comando Aéreo da Guarda Nacional.
A decisão foi tomada de comum acordo entre os procuradores que investigam o caso e a chefia do Comando Antidrogas, com o argumento que em La Carlota a aeronave está sob melhor vigilância e mais protegida das inclemências do tempo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)