Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Polícia caça fuzileiro homicida foragido

Ex-militar de elite fugira ao ser condenado a onze anos por morte a tiro de jovem paraquedista
19 de Julho de 2013 às 01:00
André Queirós foi assassinado com um tiro numa rua da Sobreda, em Almada
André Queirós foi assassinado com um tiro numa rua da Sobreda, em Almada FOTO: Mariline Alves

Seis tiros foram disparados na direção do paraquedista André Queirós; só um acertou. E foi-lhe fatal. A bala atingiu no peito o jovem de 23 anos, a 22 de abril de 2007, na Sobreda, Almada. O homicida, também um militar de elite, dos Fuzileiros, foi detido e condenado. Agiu por motivo fútil, face a rivalidades. Mas depois ficou em liberdade, à espera que se esgotassem os recursos, o que aconteceu há um ano, quando fugiu. Anteontem à noite foi caçado numa ação com as operações especiais da PSP.

O homicida de 25 anos nunca se conformou com a pena de 11 anos de cadeia a que está condenado - há um ano escapou à Justiça quando o caso transitou em julgado no Supremo Tribunal de Justiça. Vivia agora num pequeno quarto em S. Pedro do Estoril e mal saía de casa - mantinha-se em permanente alerta sem arriscar ser visto por polícias na rua.

A PSP percebeu nos últimos dias que se escondia naquela área e montou vigilâncias. Considerado perigoso, suspeito de ter armas, o fuzileiro foi detido pela Divisão de Investigação Criminal com o apoio do Grupo de Operações Especiais.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO EM PAPEL DO JORNAL 'CORREIO DA MANHÃ'

POLÍCIA HOMICÍDIO FUZILEIRO MORTE ESTORIL
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)