Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Polícia Municipal de Lisboa tem novo comandante

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carmona Rodrigues, conferiu a posse do cargo de Comandante da Polícia Municipal ao comissário André Gomes, em cerimónia realizada, ontem à tarde, no salão nobre dos Paços do Concelho.
16 de Dezembro de 2004 às 00:00
Comissário André Gomes
Comissário André Gomes FOTO: Manuel Moreira
O empossado, que foi colocado naquela polícia como comandante operacional em Maio de 2000, passou a exercer as funções de segundo comandante em Julho de 2003 e era o comandante em exercício desde Junho do corrente ano.
“O reforço, a dignificação e a modernização da nossa Polícia Municipal são instrumentos fundamentais para uma Lisboa moderna”, afirmou o presidente da Câmara, antes de lembrar o contributo que aquela polícia teve e tem “no domínio da requalificação urbana”, citando, como exemplo, “o sucesso dos projectos de condicionamento de trânsito nas zonas históricas em Lisboa, nomeadamente Bairro Alto, Alfama e Bica”.
E dirigindo-se ao novo comandante, Carmona Rodrigues concluiu com uma nota pessoal. “Nestes anos ficámos a conhecer o seu trabalho e temos respeito pela sua actuação, que nos tranquiliza a todos. Vamos continuar a trabalhar com empenho e em conjunto no sentido de proporcionar uma melhor qualidade vida para todos quantos vivem no município de Lisboa”. Antes, já o novo comandante da Polícia Municipal, que tem sob o seu comando 394 mulheres e homens, tinha garantido ao CM que o seu objectivo e o da Polícia Municipal “é assegurar com eficácia o funcionamento da estrutura, no respeito incondicional pelas opções tomadas pelo poder autárquico”.
Natural de Vinhais, o comissário André de Jesus Gomes, de 49 anos, ingressou na PSP em 1978 e possui uma folha de serviços onde avultam quatro condecorações das forças de segurança e sete louvores. Antes de ser colocado na Polícia Municipal prestou serviço em Macau, na área da formação ao Corpo de Intervenção local e colaborou na segurança da cerimónia de transferência de poderes de Macau para a China.
Ver comentários