Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

POLÍCIAS CHAMAM FAMÍLIAS PARA PROTESTO EM LISBOA

O Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP/PSP) quer juntar polícias de todo o país, e respectivas famílias, na Praça do Comércio, em Lisboa, com o objectivo de chamar a atenção para os problemas que afligem a corporação.
6 de Novembro de 2004 às 00:00
A iniciativa será equacionada na quarta-feira, durante a conferência nacional de delegados, que irá reunir membros deste sindicato e da Associação Sindical Independente de Agentes (ASIA/PSP).
A ‘luz verde’ para a acção de protesto deverá surgir na tarde de terça-feira, depois de uma delegação conjunta dos dois sindicatos com a chefe dos recursos humanos da Direcção Nacional da PSP. “São várias as questões que precisam de uma resposta, em especial depois de a Direcção Nacional da PSP ter faltado à verdade na questão das promoções”, referiu ao CM o presidente do SPP/PSP.
Se as respostas da cúpula da PSP não agradarem, os dirigentes do SPP e da ASIA estão dispostos a recuperar uma ideia que já foi levada a cabo em Espanha. “Em 1984, a luta pela legalização dos sindicatos da Polícia Nacional de Espanha passou pela acção de alguns polícias, que resolveram invadir as esquadras, conjuntamente com as famílias”, salientou o dirigente sindical.
A ideia já esteve, de resto, perto de ser concretizada por alturas do Euro’2004. Mas “questões de respeito pela imagem do país no exterior levaram ao adiamento”, adiantou
APELO A TODOS
Assim, se persistirem as dúvidas sobre questões tão diversas como as promoções, os horários, e o atraso no pagamento dos gratificados, a reunião de polícias e famílias deverá mesmo seguir em frente, ainda durante o mês de Novembro.
A iniciativa, que os dirigentes do SPP e da ASIA não querem ver restrita aos associados dos respectivos sindicatos, mas sim a todos os polícias, deverá acontecer a um sábado.
“É uma data em que, de uma maneira geral, muitos efectivos da PSP estão de folga. Por isso esperamos, devido a esse facto, conseguir reunir o maior número possível de pessoas”, frisou António Ramos.
No entanto, antes até da realização desta acção de protesto, poderão haver associados do SPP e da ASIA nas ruas. Na quarta-feira, dia da reunião nacional de delegados, está previsto que dirigentes de ambos os sindicatos se desloquem à Presidência do Conselho de Ministros, para entregar um memorando.
“Iremos ouvir os associados para conseguir constituir um documento credível. A gravidade dos problemas que iremos discutir determinará a constituição da delegação que sairá à rua nesse dia. Várias dezenas de pessoas poderão sair à rua para que o Governo, mais uma vez, ouça a nossa voz”, concluiu António Ramos.
Ver comentários