Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Ponte corroída e com desníveis

Foi construída provisoriamente há quase vinte anos mas continua a ser uma das travessias mais utilizadas para atravessar o rio Gilão.
15 de Dezembro de 2009 às 00:30
Estrutura foi uma solução provisória cujo prazo de utilização, segundo especialistas, expirou há 15 anos
Estrutura foi uma solução provisória cujo prazo de utilização, segundo especialistas, expirou há 15 anos FOTO: Luís Costa/Algarvephotopress

A conhecida ‘ponte metálica’ de Tavira apresenta indícios de corrosão, o que levanta questões sobre a sua segurança.

"Se é uma estrutura temporária não pode ser definitiva, o que quer dizer que tem uma duração limitada", alerta José Carlos Martins, especialista em Engenharia Civil da Universidade do Algarve.

A ‘velhinha’ travessia foi construída temporariamente pela antiga Junta Autónoma das Estradas (agora Estradas de Portugal), em 1991. Veio substituir uma ponte militar instalada pelo Exército, na sequência das cheias de 1989.

O mesmo técnico universitário avisa que "o tempo médio de durabilidade destas estruturas é de cinco anos".

O CM pediu esclarecimentos à Estradas de Portugal, que atribui responsabilidades à Câmara de Tavira, porque "a ponte está em espaço urbano". O novo presidente da autarquia, Jorge Botelho, garantiu ao CM que "os serviços técnicos estão a fazer vistorias constantes à travessia". No futuro, a intenção é "construir uma nova ponte com condições".

SÍSMOS SÃO A PREOCUPAÇÃO

A resistência aos sismos é a maior preocupação do especialista da Universidade do Algarve. "A estrutura só foi dimensionada para as cargas razoáveis que iriam passar na ponte durante um período temporário e nunca para resistir a abalos sísmicos ao longo dos anos", entende José Carlos Martins.

Também um outro especialista que realiza reparações em pontes demonstrou a mesma preocupação. "As travessias provisórias são calculadas para um período curto de uso, o que não inclui a probabilidade de um sismo", interpretou.

A Universidade do Algarve recebeu uma solicitação da autarquia de Tavira, há cerca de três anos, para vistoriar a travessia, mas a inspecção nunca se realizou. A autarquia achou o orçamento de cinco mil euros muito excessivo.

APONTAMENTOS

CORROSÃO

A travessia metálica de Tavira apresenta visíveis indícios de corrosão, segundo a análise dos especialistas, muito devido à sua grande proximidade com o mar e o contacto directo com águas salgadas.

DESNÍVEL

Alguns apoios da ponte apresentam falhas que deixam dúvidas sobre a capacidade de aguentar grandes cargas. O desnível do tabuleiro é visível em algumas partes da travessia provisória.

CONSERVAÇÃO

O especialista entende que "todas as acções de conservação nada servem porque será sempre uma estrutura temporária". Recentemente foi reparado um buraco no tabuleiro da ponte com alcatrão.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)