Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

População vive noite de terror

A população de Alvor acordou ontem de madrugada em sobressalto com vários fogos a eclodir na vila. Um snack-bar acabou por ser consumido pelas chamas, que alastraram depois à parte de cima do prédio. Não houve feridos, mas os danos materiais são avultados. Os fogos serão de origem criminosa. A PJ ouviu ontem uma pessoa no âmbito da investigação.
5 de Outubro de 2008 às 00:30
Fogo ateado num snack-bar alastrou depois a uma loja de artesanato e provocou alguns danos num prédio
Fogo ateado num snack-bar alastrou depois a uma loja de artesanato e provocou alguns danos num prédio FOTO: Armando Alves

"Começaram por atear fogo às cadeiras e mesas que estavam na esplanada. As chamas acabaram por entrar na cozinha, pegando ao gás. Segundo os técnicos, se o gás não fosse canalizado tinha explodido tudo", relatou ao CM Teresa Gama, a proprietária do snack-bar Doces Pecados, situado frente à escola D. João II, ainda em choque por ver o seu estabelecimento "totalmente destruído por pura maldade".

Os prejuízos são difíceis de calcular, mas poderão rondar os 60 mil euros. Teresa Gama desconhecia se estariam totalmente cobertos pelos seguros.

O fogo ainda atingiu a parte de cima do prédio, embora não tenha causado grandes estragos. Por sorte, o primeiro andar estava desabitado, enquanto no segundo reside um casal e duas crianças, que abandonaram a casa quando detectaram o incêndio no prédio.

As chamas não pouparam uma loja de artesanato do edifício vizinho, que ficou parcialmente destruída. A proprietária, Alexandrina Carmo, fala em prejuízos avultados, mas ainda não contabilizados.

Houve ainda uma tentativa de atear fogo a duas garrafas de gás de uma pastelaria. Os donos conseguiram debelar o foco de incêndio com um extintor.

Numa rua próxima, a Poeta António Aleixo, foi incendiada uma motorizada – restou apenas o esqueleto em metal. Populares usaram mangueiras para combater as chamas, evitando a destruição de carros estacionados na zona. Na mesma rua foi deitado fogo aos toldos de um bar. Em vários pontos da vila houve papeleiras e contentores de lixo incendiados.

"NUNCA SE VIU UMA COISA ASSIM"

"Nunca se tinha visto uma coisa assim em Alvor", referiu ao CM o presidente da junta local, Artur Santana, frisando que tudo indica tratar-se de "actos de puro vandalismo, dado que nada foi roubado".

O autarca salientou que "pontualmente , sobretudo no Verão, surgem alguns problemas na vila, mas nada desta dimensão e gravidade". Moradores na rua Poeta António Aleixo têm uma visão mais pessimista. "Há muitos casos de vandalismo o ano inteiro", garantem.

Os incendiários poderão ter usado material esponjoso para ajudar a propagar as chamas. A suspeita resulta do facto de ter sido encontrado um carro com uma esponja em cima do tejadilho. Aparentemente, alguma coisa terá afugentado os vândalos, impedindo que deitassem fogo à viatura.

PORMENORES

GÁS

No snack-bar destruído pelo fogo, a combustão de gás provocou o efeito chaminé, fazendo com que as chamas subissem a parede do exterior do prédio até ao segundo andar.

MEIOS

Os Bombeiros Voluntários de Portimão fizeram deslocar para Alvor três viaturas e doze homens.

INVESTIGAÇÃO

Elementos da PJ estiveram ontem em Alvor a recolher indícios que possam levar à descoberta dos autores dos fogos.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)