Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Populares manifestam-se contra abate de tílias centenárias de Vila Nova de Paiva

Autarquia pretende abater cerca uma dúzia destas árvores centenárias no âmbito de um projeto de regeneração urbana.
Correio da Manhã 5 de Outubro de 2019 às 18:25
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
Populares manifestam-se contra abate das tílias da discórdia de Vila Nova de Paiva
"Dou oxigénio, sombra, sou biodiversidade. Retenho CO2". Este é o cartaz que marca o Largo do Município, em Vila Nova de Paiva. Um grupo de populares da terra está a manifestar-se em frente à Câmara Municipal de Vila Nova de Paiva contra o abate de tílias centenárias conhecidas por darem personalidade ao centro da vila. 

A Câmara Municipal pretende abater uma dúzia destas árvores, muito acarinhadas pelo povo de Vila Nova de Paiva, no âmbito de um projeto de regeneração urbana financiado pela União Europeia. O projeto tem como objetivo aumentar as zonas de lazer e estacionamento e também, desta forma, dar mais espaço à praça para acolher a centenária 'Feira de Barrelas'. 

Acácio Fonseca, um comerciante local que está a mobilizar a população contra o abate destas árvores diz-se "triste" com a decisão da autarquia. "Vai descaracterizar a vila", garante Acácio ao Correio da Manhã.

"Não consegui demover o executivo municipal do corte das árvores, pois em nada interferem com o projeto de requalificação, não consigo ver nenhum motivo, a não
ser os feirantes terem mais espaço para estacionarem em cima do jardim, pois o Padrão do tricentenário da Restauração de Portugal, também vai mudar de sítio", lê-se na publicação feita nas redes sociais.

O comerciante afirma que após divulgar a situação no Facebook tem tido muito apoio mas também ressalva ao CM: "Há muitas pessoas que não estão connosco por medo de represálias da Câmara". Acácio assume que, "num sítio onde há pouco emprego", as pessoas têm medo de possíveis vinganças.  

Há três anos que tem conhecimento deste projeto e tenta que não vá para a frente. Em janeiro de 2017, Acácio chegou mesmo à fala com o presidente da autarquia que lhe garantiu que não haveria corte de árvores, no entanto, essa promessa não se viria a cumprir uma vez que a autarquia pretende avançar com o corte das tílias. 

Apesar desse medo por parte das pessoas, Acácio garante na publicação do Facebook que não pretende desistir e manifesta-se este sábado com vários cartazes e outros populares em frente à autarquia. 




Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)