Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Portugal reforça meios na luta contra o terror

Forças de segurança e militares empenhados em missões de controlo de fronteiras da União Europeia.
João Carlos Rodrigues 15 de Março de 2018 às 01:30
Mais de 500 elementos vão estar envolvidos em operações da UE
Exército
Mais de 500 elementos vão estar envolvidos em operações da UE
Exército
Mais de 500 elementos vão estar envolvidos em operações da UE
Exército
Portugal vai reforçar o contingente que integra as operações da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (Frontex) na luta contra o terrorismo e a imigração ilegal. No total, serão mais de 500 elementos da GNR, PSP, SEF, Autoridade Marítima, Marinha e Força Aérea, que ao longo de todo o ano vão estar envolvidos em operações de vigilância, sobretudo no Mediterrâneo.

Neste momento, já se encontram no terreno 15 elementos do SEF, PSP e GNR, bem como duas tripulações da Polícia Marítima. Hoje, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, apresenta, em Lisboa, os meios – técnicos e humanos – que vão reforçar o efetivo que vai ser destacado.

Para 2018, a GNR prevê participar com um total de 113 militares. Envolverá uma embarcação de vigilância costeira, uma viatura de vigilância e um carro-patrulha. Serão envolvidos peritos em vigilância de fronteira, tripulações especializadas em seguimento de navios e equipas cinotécnicas, entre outras valências. Estes elementos vão operar na Polónia, Grécia, Espanha, Bulgária e Itália.

A PSP vai destacar 49 elementos, entre equipas cinotécnicas (com cães) e peritos no registo de imigrantes que estarão destacados em Itália, Espanha, Grécia e Bulgária.

O SEF prevê participar em 11 das 13 Operações Conjuntas da Frontex, com um total de 43 elementos. Envolverá peritos avançados e especialistas documentais, peritos de entrevista e em crime transfronteiriço, e peritos em escoltas e no controlo de ilegais. Os destacamentos ocorrerão em Espanha, França, Itália, Holanda, Bulgária, Grécia, Polónia e Alemanha.

As forças militares não têm ainda o total de elementos fechado, mas será sempre na ordem dos 300 elementos, aos quais se acrescentam embarcações e aeronaves.

SAIBA MAIS
204 700
número de pessoas detetadas em 2017 a tentar entrar ilegalmente na Europa, de acordo com o último relatório de Análise de Risco da Frontex. Espanha foi o país onde se registou o maior aumento, com 22 900 ilegais a chegarem vindos, sobretudo, de Argélia e Marrocos.

Terrorismo é prioridade
O combate ao terrorismo foi definido como uma prioridade para 2018 pela Frontex, à frente do combate ao crime marítimo transnacional e ao tráfico de seres humanos. O Mediterrâneo é o palco principal desta luta.
Portugal terrorismo terror forças de segurança militares missões União Europeia
Ver comentários