Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

PORTUGUÊS CULPADO DE PLANEAR ATAQUE

Antes de sair da sala de audiências, o emigrante madeirense José Pestana, acusado de preparar um ataque à bomba a um restaurante no aeroporto de Gatwick, em Londres, ouviu o juiz dizer-lhe que pode ser condenado a uma pena de prisão muito longa.
2 de Outubro de 2003 às 00:00
A prisão perpétua é uma hipótese. “Mas preciso da ajuda de psiquiatras para saber se o senhor constitui um risco”, afirmou o juiz David Rennie.
O tribunal decidiu segunda-feira que Pestana, de 41 anos, deve ser submetido a uma série de exames psiquiátricos, de forma a apurar até que ponto pode ser considerado perigoso.
Apesar de ter sido detido ao abrigo do ‘Terrorism Act’, a polícia inglesa já tornou público que José Pestana não tem qualquer ligação a grupos terroristas. De acordo com a acusação, na origem do ataque à bomba planeado pelo português estava um desentendimento com o antigo patrão, dono do restaurante Garfunkels, no aeroporto de Gatwick, em Londres.
Depois de um acidente de trabalho, José Pestana exigiu uma indemnização de 1,65 milhões de euros, tendo recebido apenas 36 mil euros. Moisés de Sousa, que vivia na mesma casa com Pestana, disse em tribunal que o réu ameaçou várias vezes matar o antigo patrão.
Em Março deste ano, quando investigava um roubo de electricidade, a polícia inglesa efectuou uma busca no apartamento dos portugueses, perto do aeroporto, e encontrou dois dispositivos explosivos artesanais.
Ver comentários