Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Português libertado em Omã

Julgado à revelia e condenado a dois anos e meio de prisão, numa cadeia de Omã, por falsificação de dólares em 2003 – da qual se diz inocente –, terminou ontem de manhã o pesadelo de Agostinho Ferreira Alves.
7 de Junho de 2006 às 00:00
Benedito acusa o Governo de falta de ajuda e vai processar o Estado
Benedito acusa o Governo de falta de ajuda e vai processar o Estado FOTO: Rui Moriera
O julgamento do português de Viana do Castelo foi reapreciado e sai hoje em liberdade, mas a família diz não ter recebido “apoio jurídico do Governo” e vai “processar o Estado”.
Agostinho Alves não sabia que um mandado de captura internacional pendia sobre si e foi surpreendido no aeroporto de Riade, Arábia Saudita, a 23 de Março. Detido e extraditado no final de Abril para Omã, já cumpria pena efectiva sem que o Governo “se disponibilizasse para o ajudar na sua defesa”, garante ao CM o filho, Benedito Alves.
O advogado Miguel Reis mostrou à família interesse pelo caso e, “em contacto com um colega local”, conseguiram a reapreciação do julgamento para as 09h00 de ontem (06h00 em Lisboa). “Provou-se que esta prisão era um disparate, mas, se dependesse do MNE, o meu pai tinha mesmo lá ficado preso dois anos e meio”, acusa Benedito.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)