Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Portuguesa morta à facada pelo marido

Ângela Tavares, uma portuguesa de 34 anos, foi esfaqueada até à morte anteontem de manhã em Karlsruhe, no sudoeste da Alemanha. O marido, também português, é o principal suspeito do homicídio e terá fugido do país, razão pela qual foi já emitido um mandado de detenção internacional.
4 de Janeiro de 2008 às 00:00
De acordo com um comunicado da Polícia Criminal de Karlsruhe, que descreve o suspeito como “volátil”, “Lúcio Pedro Tavares, de 44 anos, assassinou a esposa por volta das 04h00 de quarta-feira, junto a uma paragem de eléctrico em Muhlburger Feld”, a menos de 100 metros da residência desta.
O CM apurou junto de Palmira Pereira, uma emigrante portuguesa radicada em Karlsruhe que conhecia Ângela Tavares, que “o casal estava separado há mais de um ano”, mas Lúcio Tavares voltou a casa da ex-mulher na terça-feira à noite. “Houve uma discussão forte”, garante Palmira Pereira. A quezília é confirmada pelas autoridades alemãs, que acreditam numa “morte premeditada”.
“É provável que ele tenha esperado pela Ângela quando ela ia para a padaria onde trabalhava. Ela saia sempre à mesma hora para o trabalho e fazia sempre o mesmo percurso”, defende Palmira Pereira.
Ângela e Lúcio Tavares nasceram em Angola, mas ambos têm nacionalidade portuguesa e família na área de Lisboa. A Secretaria de Estado das Comunidades disse ao CM que “está a acompanhar o caso”, mas não adianta mais informações. Em relação à transladação do corpo de Ângela, adianta que “o processo está dependente da altura em que as entidades alemãs libertarem o corpo”. Ontem à tarde a autópsia ainda não tinha sido dada como concluída.
Por definir está também a situação das duas filhas do casal, com 9 e 15 anos, que entretanto foram entregues a um centro de acolhimento por ordem do Tribunal de Menores.
Ver comentários