Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Praga de lagartas ataca pinheiros do aeroporto

Uma praga de processionárias (thaumetophoea pityocampa) está a incomodar os proprietários das casas localizadas junto a um pinhal numa área privada do Aeroporto de Faro, que se queixam do grande número destes insectos, incomodativos e perigosos para a saúde pública.
15 de Janeiro de 2007 às 00:00
As autoridades responsáveis pelo aeroporto já foram alertadas para o problema, estando a estudar a forma de combater a praga. De acordo com o director clínico do Hospital Distrital de Faro (HDF), até ontem não se tinham verificado casos de assistência naquela unidade devido ao contacto com a lagarta.
Dinis Silvestre, de dois anos, que mora com os pais junto a uma das vedações do aeroporto de Faro, tem de estar permanentemente sob vigilância para não cair na tentação de brincar com os “bichinhos”. Uma preocupação para os progenitores que temem as consequências da presença do insecto.
“Ele tem alergia ao pó da lagarta e já foi picado por um dos insectos, valendo-lhe termos detectado e actuado rapidamente”, explica Celso Silvestre, pai do menor, que não aceita a demora em resolver o problema. “Já fui à Junta de Freguesia de Montenegro e escrevi uma carta à direcção do Aeroporto de Faro e nada foi feito”, queixa-se.
Correia Mendes, director do Aeroporto de Faro, confirmou ao CM já ter sido alertado para a praga e, na passada sexta-feira, os serviços de manutenção já receberam instruções para estudar o fenómeno.
Aquele responsável alerta para o facto de o Aeroporto só possuir meia dúzia de pinheiros, havendo mais na zona envolvente, “pelo que a solução terá de ser analisada cuidadosamente para uma resolução eficaz e conjunta do problema”.
O director clínico do HDF, Larguito Claro, disse ao CM que o fenómeno tem de ser encarado com seriedade. “Há dois anos tivemos esse problema, com vários casos de queimaduras terríveis causadas pela processionária”, revelou o clínico, que garante não ter registado este ano qualquer caso no HDF.
PORMENORES
SAÚDE
A lagarta do pinheiro, que também existe nos cedros, vulgarmente apelidada de processionária, tem o nome científico de ‘thaumetopoea pityocampa’. É uma espécie com grande impacto negativo em animais e pessoas. Origina problemas de saúde pública.
INSECTO
processionária é um insecto desfolhador que causa alergias ao homem. Anualmente, de Janeiro a Maio, milhares de lagartas saem dos pinheiros e invadem as casas. Invernos secos e céu descoberto são propícios para acelerar o seu desenvolvimento.
DOENÇAS
Irritação dos olhos e manchas na pele são os sintomas mais normais do contacto com as processionárias, que têm esse nome pelo facto de se deslocarem em fila (procissão). Provoca uma reacção alérgica que, em casos extremos, pode causar a morte.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)