Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Prazo dos manuais agrada

A grande maioria dos portugueses (78,1 por cento) está de acordo com a decisão do Ministério da Educação (ME) em alargar o prazo de validade dos manuais escolares de três para seis anos, segundo revela uma sondagem da Aximage realizada para o CM.
4 de Maio de 2006 às 00:00
De acordo com o mesmo estudo, apenas 16,9 por cento dos inquiridos, menos de um em cada cinco, concorda com os receios dos livreiros de que os manuais escolares podem “ficar desactualizados”, enquanto cinco por cento (um em cada 20) diz-se “sem opinião”.
Sobre a qualidade de ensino e entre a “livre escolha pelos professores” ou a “escolha entre manuais aprovados por especialistas”, a maioria (57,4 por cento) dos inquiridos apoia o ME em só permitir a escolha de manuais previamente aprovados. Menos de um em cada três (28,9 por cento) prefere a livre escolha e 13,7 por cento diz-se “sem opinião”
Em particular, os eleitores do BE são quem mais apoia os livreiros (48,1 por cento), assim como a faixa etária mais jovem, entre 18 e 29 anos (28,8 por cento).
SONDAGEM 'CM'
Na sua opinião o que é melhor para a qualidade do ensino?
Sem opinião - 13,7%
Que os professores possam escolher os manuais que queiram - 28,9%
Que os professores só possam escolher os manuais aprovados por especialistas - 57,4%
O alargamento pelo Ministério da Educação do prazo dos manuais escolares de três para seis anos foi contestada pelos livreiros. Na sua opinião quem tem razão?
Ministério da Educação - 78,1%
Livreiros - 16,9%
Sem opinião - 5%
FICHA TÉCNICA
UNIVERSO: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal em lares com telefone fixo;.
AMOSTRA: aleatória estratificada (região, habitat, sexo, idade, instrução e voto legislativo), polietápica e representativa do universo com 550 entrevistas telefónicas, das quais 281 a mulheres;
PROPORCIONALIDADE: variável estratificação
TÉCNICA: entrevista telefónica, assistida por computador;
TRABALHO DE CAMPO: entre os dias 22 e 24 de Abril de 2006;
TAXA DE RESPOSTA: 79,9 por cento. Desvio padrão máximo de 0,021.
RESPONSABILIDADE: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob direcção técnica de Jorge de Sá.
Ver comentários