Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

PRESA POR TRAFICAR MENOR

A Polícia Federal brasileira prendeu a portuguesa Maria Cecília Gonçalves Brandão de Menezes, de 53 anos, por alegado envolvimento numa rede internacional de tráfico de menores. A mulher, que se encontra foragida desde 2002, depois de condenada em Portugal por falsificação de documentos foi detida por ordem do Supremo Tribunal Federal, que analisa a extradição pedida pelas autoridades portuguesas.
30 de Outubro de 2004 às 00:00
PRESA POR TRAFICAR MENOR
PRESA POR TRAFICAR MENOR FOTO: Charles Platiau/Reuters
Os oito agentes brasileiros da Interpol destacados para a missão de localizar a portuguesa no Brasil, descobriram que a portuguesa, que diz ser psicóloga, e o seu marido, Moisés Emanuel Brandão de Menezes, registaram ilegalmente um menino de cinco anos num cartório na Barra da Tijuca em Janeiro de 2003.
O menino registado como Emanuel Cristóvão Gonçalves Brandão de Menezes, embarcou em Abril do ano passado para a Europa na companhia do marido de Maria Cecília. “Não há registo do nascimento do menino que ela diz ser seu neto, nem da entrada no Brasil”, referiu ao Correio da Manhã, Vanderley Martins, chefe do escritório da Interpol no Rio de Janeiro.
A Interpol pediu já a colaboração dos seus homólogos portugueses na localização da criança. A Polícia ainda não sabe onde nasceu a criança nem quem são seus pais verdadeiros, desconfiando que Maria Cecília e o marido estejam envolvidos numa rede alargada de tráfico de crianças.
A portuguesa pode permanecer em prisões brasileiras, caso seja acusada e julgada por esses crimes, antes de ser extraditada para Portugal, explicou Walderley. “Pode acontecer que ela cumpra primeiro a pena aqui e só depois vá para prisões portuguesa”, destacou a fonte.
Os documentos que apoiam estas novas acusações, que recaem sobre a portuguesa, estão a ser enviados para a Interpol de Portugal, sendo que a Interpol brasileira acredita que nos próximos dias, o seu marido também será preso por alegado envolvimento no processo.
Segundo a certidão, a criança teria nascido numa residência, e não na maternidade, a 6 de Janeiro de 1999. A mulher foi presa quarta-feira diante do prédio onde morava, em Copacabana. Maria Cecília veio para o Brasil a 1 de Setembro de 2002 e obteve direito de permanência em Dezembro desse ano, com base no casamento com o brasileiro.
CONDENADA POR FALSIFICAÇÃO
Maria Cecília está foragida desde 2002, depois de ter sido condenada em Portugal a sete anos de prisão por crime de falsificação de documentos e fraudes no valor de 50 mil euros, disse ao Correio da Manhã, Vanderley Martins, chefe do escritório da Interpol no Rio de Janeiro.
A prisão efectuada pela Polícia Federal, na quarta-feira, foi motivada por um mandato de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que analisa a extradição pedida pelas autoridades portuguesas.
Ver comentários