Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Presidente da República surpreendido com a formação da Marinha Portuguesa

"Fiquei surpreendido porque tudo aquilo que tinha lido e ouvido, foi ultrapassado pelo que vi", referiu Marcelo.
Lusa 27 de Novembro de 2017 às 19:36
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou-se esta segunda-feira "surpreendido" com o sistema de formação da Marinha depois de assistir a uma demonstração de várias valências dos militares, algumas vocacionadas para serviço à comunidade civil.

"Fiquei surpreendido porque tudo aquilo que tinha lido e ouvido, foi ultrapassado pelo que vi. E isso é muito gratificante", reconheceu Marcelo Rebelo de Sousa, depois de assinar o Livro de Honra da Marinha.

"Esta escola de tecnologias navais é essencial para a formação de quem tem um papel na marinha ao serviço do país", disse Marcelo Rebelo de Sousa no final da visita que efetuou à Escola de Tecnologias Navais (ETNA) da Marinha Portuguesa, na Base do Alfeite.

Marcelo Rebelo de Sousa, que falava aos jornalistas depois de ver a atuação dos militares da marinha no combate a incêndios, socorro a vítimas de catástrofes, acidentes de viação e evacuação área de feridos, entre outras -, salientou o facto de a formação da Marinha também preparar os formandos para vida civil.

Sempre acompanhado pelo CEMA (Chefe do Estado Maior da Armada), almirante António Silva Ribeiro, o Presidente da República ficou a saber que Marinha Portuguesa tem mais de 350 cursos em 20 áreas de formação, alguns direcionados exclusivamente para a área militar, outros vocacionados para "competências" que se destinam a apoiar a comunidade.

"Temos aqui uma formação para cumprir a missão nacional clássica, que nós chamamos Defesa Nacional, mas também missões, que são missões de serviço à comunidade, permanentes, como foi o caso de Pedrógão, ou como as intervenções nos sismos dos Açores", acrescentou.

"É um sistema muito completo dentro da marinha e no serviço à comunidade. E as pessoas não imaginam que existe esta formação e que existe uma escola como esta. É impressionante. E até o chegar ao pormenor da restauração - há muitas outras formações, bem entendido - revela que há aqui uma prática, uma experiência muito antiga e por vezes desconhecida, mas os portugueses estão a começar a conhecê-la ainda mais", disse o Presidente da República.

De acordo com a Marinha Portuguesa, em média são ministrados anualmente na ETNA mais de 400 cursos a cerca de 3.700 formandos, o que significa um total de 50.000 horas de formação.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)