Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Presidente dos bispos contra "Estado militantemente ateu"

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Jorge Ortiga, afirmou esta segunda-feira, na abertura da assembleia plenária do organismo, que decorre até quinta-feira em Fátima, que “o Estado Democrático não pode ser militante ateu”.
31 de Março de 2008 às 19:16

Para o arcebispo de Braga, “o Estado tem de reconhecer, respeitar e procurar satisfazer a opção dos cidadãos a quem proporciona as condições necessárias para viver a sua religião, respeitando as outras crenças”.

Os bispos escolhem ainda hoje o novo presidente do seu organismo, sendo a reeleição do arcebispo de Braga uma das hipóteses. Outras duas fortes possibilidades são o patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, e o bispo do Porto, D. Manuel Clemente.

Durante o plenário, deverá ainda ser ratificado o nome do novo reitor do Santuário de Fátima, proposto pelo bispo de Leiria.

O arcebispo de Braga anunciou também que os bispos irão debater um “programa para recordar a implantação da República”, não para “celebrar um centenário”, mas sim para “reconhecer que os acontecimentos adversos suscitaram coerência e fidelidade”.

D. Jorge de Ortiga acrescentou ainda que a Igreja não pode “aceitar” ser excluída “de um processo de humanização integral” e que os cristão portugueses devem manifestar “que nunca abdicarão, em princípios e acções, dos seus direitos e das responsabilidades inerentes que derivam da simples cidadania”.

Ver comentários