Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Preso em casa alega inocência

Um dos três homens suspeitos de terem disparado vários tiros de caçadeira contra o posto da GNR de Alpiarça, em Janeiro e Abril do ano passado, está acusado de oito crimes graves e vai ser julgado após as férias judiciais, mas garante que está inocente.

3 de Agosto de 2009 às 00:30
O arguido, José Vieira, mostra a pulseira electrónica que o mantém em prisão domiciliária
O arguido, José Vieira, mostra a pulseira electrónica que o mantém em prisão domiciliária FOTO: João Nuno Pepino

"Não consigo perceber como me envolveram neste processo. Não dei tiros nenhuns nem me dou com as outras pessoas envolvidas", disse ontem ao CM o arguido, José Vieira, garantindo que "o Ministério Público não tem provas" contra ele, por isso acredita na sua absolvição.

José Vieira, que aguarda julgamento em prisão domiciliária, com pulseira electrónica, está acusado de cinco crimes de homicídio qualificado na forma tentada, dois crimes de dano e ainda de um crime de falsificação de documentos.

O posto da GNR de Alpiarça foi atingido a tiros de caçadeira por duas vezes. Os disparos foram feitos de madrugada, a partir de uma viatura que parou em frente ao edifício, causando danos.

Segundo o Ministério Público, os tiros foram disparados por três indivíduos, que serão julgados em processos separados. O julgamento de José Vieira está marcado para 22 de Setembro. Os outros envolvidos ainda não têm julgamento marcado, sendo que um deles também está em prisão domiciliária com pulseira electrónica e o outro está em liberdade.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)