Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Preso no Brasil 14 anos após crime numa boîte

Proprietário de casa de alterne, de 56 anos, foi capturado pela PJ de Braga no Rio de Janeiro.
Liliana Rodrigues 25 de Abril de 2018 às 01:30
Polícia Judiciária de Braga deteve homem de 56 anos há poucos dias no Rio de Janeiro e trouxe-o para Portugal
Estabelecimento Prisional de Lisboa
Estabelecimento Prisional de Lisboa
Polícia Judiciária de Braga deteve homem de 56 anos há poucos dias no Rio de Janeiro e trouxe-o para Portugal
Estabelecimento Prisional de Lisboa
Estabelecimento Prisional de Lisboa
Polícia Judiciária de Braga deteve homem de 56 anos há poucos dias no Rio de Janeiro e trouxe-o para Portugal
Estabelecimento Prisional de Lisboa
Estabelecimento Prisional de Lisboa
Há cerca de seis anos que Valdemar Barbosa se escondeu no Brasil, quando percebeu que ia ser condenado por ter atingido a tiro dois clientes da casa de alterne de que era proprietário, em Oleiros, Vila Verde, em 2004.

O homem, de 56 anos, foi detido há poucos dias no Rio de Janeiro por uma equipa da Polícia Judiciária de Braga e trazido para Portugal. Já está no Estabelecimento Prisional de Lisboa a cumprir a pena de três anos e oito meses de cadeia aplicada pelo tribunal por duas tentativas de homicídio e posse de arma proibida.

O caso remonta à madrugada de 23 de maio de 2004, quando um dos clientes do bar se excedeu com uma das funcionárias brasileiras do estabelecimento conotado com a prática de prostituição. Foi expulso do interior da casa de diversão noturna pelos seguranças, mas voltou minutos depois com mais amigos.

A confusão instalou-se de imediato. O dono do espaço sacou a pistola que tinha sempre no bolso e efetuou vários disparos. Atingiu, sem gravidade, dois clientes com os tiros e ambos tiveram de receber tratamento hospitalar.

Na altura, Valdemar Barbosa foi detido e ouvido pelas autoridades. Ficou em liberdade e compareceu nas primeiras sessões do julgamento. No entanto, planeou fugir quando percebeu que arriscava ser condenado a pena de prisão.

Escapou às autoridades e refez a vida no Brasil, onde tinha contactos devido às funcionárias que para ele trabalharam. Mas foi detido pela PJ de Braga.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)