Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Preso nove anos por 116 violações

Menina tinha 11 anos quando começou a ser atacada. Abusos prolongaram-se por três anos.
11 de Maio de 2014 às 09:00
Criança era agredida e ameaçada quando resistia
Criança era agredida e ameaçada quando resistia FOTO: Ricardo Cabral

Uma menina foi violada pelo padrasto, então com 35 anos, 116 vezes durante três anos, na casa onde a família residia, em Coimbra. Os abusos começaram em 2007, quando a criança tinha 11 anos, e prolongaram-se até 2010. Quatro anos depois, o arguido viu o Tribunal da Relação de Coimbra confirmar a pena de nove anos de cadeia que já lhe tinha sido aplicada pela primeira instância.

No recurso, o arguido tentou descredibilizar o depoimento da menor – alegando que tudo não passava de uma "enorme mentira" e de um "plano maquiavélico". Mas os juízes desembargadores não valorizaram os seus argumentos.

Durante o julgamento a criança relatou de uma forma que o tribunal considerou "coerente e verosímil" o "inferno" por que passou nesses três anos. Sempre que recusava manter relações sexuais com o arguido era ameaçada de morte e agredida. A primeira vez que foi atacada acabou por ser esbofeteada quando tentou resistir. Sempre que tentava gritar para pedir socorro, o padrasto tapava-lhe a boca e apertava-lhe o pescoço. Para a manter em silêncio ameaçava matá-la.

Condenado por violação agravada e sequestro, o arguido terá ainda de pagar uma indemnização de 70 mil euros à vítima.

Coimbra abusos sexuais violação pedófilo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)