Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Preso por tentar incendiar mulher

Valter agredia frequentemente a companheira, que conheceu no ano passado. Obrigava-a a prostituir-se e, em Maio último, tentou mesmo incendiá-la, no Porto. Regou-a com álcool, acendeu um isqueiro e aproximou-se. Valeu a Regina que o homem estava alcoolizado e acabou por ser fácil fugir-lhe.
1 de Outubro de 2011 às 01:00
Valter a entrar para o tribunal, levado pela Polícia Judiciária
Valter a entrar para o tribunal, levado pela Polícia Judiciária FOTO: Joana Neves Correia

 

Há menos de 15 dias, Regina voltou a ser atacada. Dois homens apanharam--na durante a noite e, enquanto estava de costas, regaram-na com um produto inflamável. Regina não sabe quem foi.

Acto contínuo, atearam-lhe fogo, e a mulher sofreu queimaduras graves. Voltou a valer-lhe a rapidez de raciocínio: conseguiu despir a roupa e já chegou em cuecas à PSP, a quem pediu ajuda. Foi, de imediato, hospitalizada.

Ontem, Valter foi levado a tribunal para ser interrogado, depois de detido pela Polícia Judiciária do Porto. Foram-lhe imputados os crimes de ofensa à integridade física qualificada, violência doméstica e lenocínio – por lucrar com a prostituição da companheira. Perante o caso, o juiz do Tribunal de Instrução Criminal aplicou-lhe prisão preventiva como medida de coacção, e o homem foi levado para a Cadeia de Custóias.

A prova relativamente à última agressão com fogo ainda está a ser reunida. Regina apenas diz que o ataque ocorreu por volta das 23h00, na Travessa de Recarei, em Leça do Balio, mas garante não ter reconhecido a voz que lhe ordenou "não te mexas, ou então morres".

PORTO JULGAMENTO QUEIMAR INCENDIAR
Ver comentários