Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Presos dois FP-27

Disfarçavam-se com bonés, perucas, óculos escuros e barbas postiças e gostavam de ac tuar à quinta ou sexta--feira. Conhecidos de longa data – pertenceram ambos ao grupo FP- -27, que nos anos 80 espalhou o terror em roubos a bancos –, juntaram-se novamente em Abril de 2006 e, até Dezembro passado, roubaram 125 mil euros em sete assaltos à mão armada a bancos em Leiria, Ourém e Golegã.
1 de Fevereiro de 2008 às 09:00
Como só se juntavam para consumar os roubos, conseguiram andar em liberdade quase dois anos. Ontem, a PJ de Coimbra anunciou a sua detenção e os dois homens, de 56 e 57 anos – um deles conhecido como Manuel ‘Francês’ e ambos já com condenações pelos mesmos crimes –, estão já em prisão preventiva.
A dupla, conhecida nos meios policiais por ‘gang das boinas’, preferia as pequenas agências de aldeia. Um residia no município de Castelo Branco, outro no Ribatejo. No dia-a--dia levavam uma vida normal como motoristas ou trabalhadores da construção civil.
Periodicamente, de preferência perto do fim-de-semana, furtavam um ou dois Fiat Uno, colocavam- -lhes matrículas falsas e atacavam os bancos. Entravam armados de caçadeira e pistola, disfarçados e protegidos com colete à prova de bala. Roubavam o dinheiro disponível nas caixas e fugiam.
Apesar de o modo de actuação ser sempre o mesmo, a Secção Regional de Combate ao Banditismo da PJ de Coimbra precisou de 21 meses de investigações para lhes deitar a mão.
Estavam ambos em casa quando foram presos, na terça-feira à tarde. Na sua posse tinham duas armas de fogo e diversos disfarces usados nos assaltos. Todo esse material foi apreendido pela PJ.
O GANG QUE ATERRORIZOU PORTUGAL
Eram violentos, destemidos e não hesitavam em disparar, sobretudo contra os polícias que lhes faziam frente. Ficaram conhecidos pelos nomes de guerra FP-27, ou Gang dos Cavacos – o sobrenome de um dos líderes do grupo, Faustino Cavaco.
Começaram por ser sete e atacavam hotéis e casas de câmbio do Algarve, no início dos anos 80. Pouco depois, Tomé Bárbara, um cadastrado com larga experiência de assaltos à mão armada, junta-se ao gang e torna-se o seu líder. Atacam bancos. Manuel ‘Francês’ participou em alguns assaltos.
Em Abril de 1985, Faustino Cavaco é preso em Lisboa, depois de ter sido baleado por um polícia. Fica entre a vida e a morte mas sobrevive. Condenado a 24 anos de cadeia, cumpre pena em Pinheiro da Cruz. A 28 de Julho de 1986, executa, com Vítor Cavaco, Raposinho, Augusto Ramalho e José Gaspar, a mais sangrenta fuga de que há memória nas prisões portuguesas – mataram três guardas e fugiram com várias G3. Acabaram por ser capturados.
Faustino cumpriu pena até 1999. Tomé Bárbara foi condenado a 25 anos de prisão, em 2006, por assalto a uma ourivesaria e por homicídio na forma tentada de dois militares da GNR.
Ver comentários