Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Prisão revista até Outubro

O ‘rei Ghob’, na zona prisional anexa à PJ desde 22 de Julho, vai ver a prisão preventiva a que está sujeito revista até ao dia 22 de Outubro, altura em que se completam três meses de prisão. Este é o prazo até ao qual, segundo o Código do Processo Penal (CPP), o juiz tem de reexaminar dos pressupostos da prisão preventiva. Em todo o caso, a defesa do suspeito de triplo homicídio já interpôs um recurso em que contesta os pressupostos da preventiva.
13 de Agosto de 2010 às 00:30
‘Rei Ghob’ à entrada do tribunal
‘Rei Ghob’ à entrada do tribunal FOTO: Vasco Neves

Para Fernando Carvalhal, advogado de Francisco Leitão, "os factos que a PJ imputa ao meu cliente não estão suficientemente consolidados para que se decretasse prisão preventiva". Na segunda-feira, seguiu para o Tribunal da Relação de Lisboa um recurso àquela medida de coacção, mas que não interfere nos prazos normais, estabelecidos pelo CPP, para a revisão.

Francisco Leitão, que na internet se intitulava como ‘rei dos gnomos’, é suspeito do homicídio de três jovens: Joana Correia, de 16 anos, Ivo Delgado, de 22, e Tânia Ramos, de 27. A tese da PJ é que todos os homicídios têm uma base passional. Tânia foi a primeira a desaparecer, a 5 de Junho de 2008, supostamente por esta namorar com Ivo, que trocou uma relação homossexual com Francisco. Ivo desapareceu 21 dias depois. A PJ acredita que descobriu o crime cometido por Leitão. Joana foi a última a desaparecer, já no dia 3 de Março deste ano. Terá sido morta por namorar com um rapaz que o ‘rei Ghob’ desejava. Mas até agora não houve sinal de qualquer dos corpos.

Ver comentários