Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Processo contra polícias por morte na Bela Vista

Agentes da PSP dispararam tiros de shotgun enquanto perseguiam Ruben Marques, que acabou por morrer na sequência de um despiste de mota.
28 de Setembro de 2013 às 13:33
Local do despiste onde Ruben Marques morreu
Local do despiste onde Ruben Marques morreu

A Inspeção-geral da Administração Interna (IGAI) instaurou dois processos disciplinares contra dois agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP), que dispararam tiros de shotgun enquanto perseguiam Ruben Marques, de 18 anos, que acabou por morrer. O jovem não perdeu a vida atingido pelos disparos, mas sim na sequência de um despiste de mota durante a perseguição no bairro da Bela Vista, em Setúbal.

Ruben Marques tinha a polícia no seu encalço devido a uma contra-ordenação de trânsito, uma vez que o jovem não parou num sinal vermelho, acabando por desrespeitar depois a ordem dos agentes para parar. Ruben conduzia também sem capacete. Acontece que nenhum destes comportamentos é passível, segundo a lei, de originar uma perseguição policial com tiros.

O ministro Miguel Macedo já comunicou à Direção Nacional da PSP que mandou abrir os processos contra os agentes. Este procedimento justifica-se “por existirem indícios de utilização excessiva de meios coercivos que podem levar à violação de deveres funcionais previstos no regulamento disciplinar da PSP”, explicou fonte oficial da IGAI ao semanário ‘SOL’.

Os agentes da PSP a quem foram instaurados os processos disciplinares vão tentar provar que dispararam em nome da segurança de terceiros, apesar de terem chegado a fazer a perseguição em contra mão, avança o mesmo jornal.

Inspeção-geral da Administração Interna PSP morte jovem processo disciplinar tiros
Ver comentários