Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Processo em Roma dentro de um ano

O processo histórico da vida da Irmã Lúcia deve dar entrada na Congregação para a Causa dos Santos dentro de um ano e, segundo o postulador da causa, o padre espanhol Ildefonso Mariones, "a beatificação pode acontecer rapidamente, talvez dentro de quatro anos".
20 de Maio de 2009 às 00:30
Comissão Histórica foi constituída e tem como missão pesquisar toda a documentação que diga respeito à vida de Lúcia
Comissão Histórica foi constituída e tem como missão pesquisar toda a documentação que diga respeito à vida de Lúcia FOTO: Paulo Novais/Lusa

Ontem, no Carmelo de Santa Teresa, em Coimbra, onde a mais velha dos Três Pastorinhos passou a maior parte da sua vida, foi oficialmente constituída a Comissão Histórica, que tem por missão a pesquisa de toda a documentação existente e a escrita de um livro sobre a vida da Irmã Lúcia.

'Esse resumo da vida da serva de Deus será a base de todo o processo. Nesta primeira fase sustentará, como esperamos, a declaração pelo Santo Padre das suas virtudes, passo fundamental para o início do processo de beatificação propriamente dito', disse ao Correio da Manhã D. Albino Cleto, bispo de Coimbra.

A Comissão Histórica é constituída por sete elementos, ligados à diocese, à História, a Fátima e ao Carmelo. Os nomes, diz D. Albino Cleto, serão divulgados dentro de duas semanas.

O postulador da causa admite que o processo da Irmã Lúcia tenha 'preferência' e que 'seja mais rápido do que outros'. 'Humanamente não é possível concluir-se todo o processo em menos de quatro anos, mas será certamente muito rápido', disse o padre Ildefonso Mariones. Perante o optimismo do postulador, houve quem falasse em 13 de Maio de 2013, como uma data 'óptima e carregada de simbolismo'.

Em termos práticos, o dossiê que a Comissão Histórica vai enviar para Roma será analisado por teólogos, pelo Colégio dos Bispos e pelo Colégio dos Cardeais, seguindo depois para o Papa. Sendo declarada veneranda, segue-se o processo das virtudes e dos milagres. Para o postulador, essa fase não será demorada 'porque há já várias notícias de graças e milagres concedidos por intermédio da Irmã Lúcia.

PERFIL

Lúcia nasceu a 22 de Março de 1907, em Aljustrel, Fátima. Em 1921, ingressou no Asilo de Vilar (Porto), das religiosas de St.ª Doroteia. Ingressou em 1948 no Carmelo de St.ª Teresa, em Coimbra, onde faleceu a 13 de Fevereiro de 2005. A 19 de Fevereiro de 2006, o seu corpo foi trasladado para Fátima.

D. NUNO DEVE SEGUIDO 'PELOS JOVENS'

O Cardeal D. José Saraiva Martins, Prefeito Emérito da Congregação para as Causas do Santos, considerou a canonização de D. Nuno Álvares Pereira “um acto de grande actualidade”.

Num colóquio promovido pela Rádio Renascença, o Cardeal fez uma contextualização histórica da canonização de D. Nuno, considerando-o “um exemplo de vida para os jovens”. Saraiva Martins citou João Paulo II e Bento XVI para se referir ao Santo Condestável como “um testemunho inquebrável da fé cristã” e “um português com profundo espírito de fé e oração”. O enviado do Papa ao aniversário do Cristo Rei salientou o espírito solidário  e patriótico do mais recente santo português para explicar que “o Homem tem actuado como se Deus não existisse”. Saraiva Martins estabeleceu ainda a ponte entre as acções de Nuno Álvares Pereira e actual conjuntura social, relembrando que o santo deixou uma importante mensagem quando se despojou dos seus bens para os dar aos pobres. “S. Nuno via no rosto dos pobres o rosto de Cristo”, considerou.

D. Duarte, representante da Casa Real de Bragança, apresentou uma perspectiva histórica da efeméride e ressalvou que “as virtudes do Santo dizem respeito às carências sociais da actualidade”. No caminho para a canonização, D. Duarte procurou o apoio do prelado da Opus Dei alegando o papel de D. Nuno na “difusão do Evangelho pelo mundo”.

Sobre este aspecto da canonização, D. José Saraiva Martins considerou que D. Nuno “não lutou contra os espanhóis mas sim pela independência de Portugal”.

Manuel Braga da Cruz, reitor da Universidade Católica Portuguesa, introduziu a sua participação no colóquio dizendo que, “paradoxalmente”, se estava a canonizar “um nacionalista em tempos de globalização”. Braga da Cruz  diz que “é fundamental dar a conhecer a vida de D. Nuno” e lançou uma crítica ao ensino português por ter “esquecido e maltratado a vida de uma figura que deu sentido social e histórico ao património que criou”.

A fechar, D. José Saraiva Martins lançou um apelo à juventude para que se aproximasse da igreja e sublinhou que “a santidade não é um privilégio de alguns”, concluindo que “é preciso adequar o Cristianismo à realidade actual”.

SAIBA MAIS

SEGUNDO MAIS RÁPIDO

Se a Irmã Lúcia for beatificada em 2013, ou seja, oito anos após a morte, será o segundo processo mais rápido da Igreja, após o da Madre Teresa de Calcutá.

7

Número de Aparições de Nossa Senhora de Fátima à Irmã Lúcia. Cinco ocorreram na Cova da Iria, uma nos Valinhos e a última em Tuy, Espanha.

PRESA EM OURÉM

A quarta aparição ocorreu a 19 de Agosto nos Valinhos, e não a 13 na Cova da Iria, como as restantes. No dia 13, Lúcia e os seus primos, Jacinta e Francisco Marto, estavam detidos na prisão de Ourém.

Ver comentários