Procurador José Góis desmente Cândida Almeida

Ex-diretora do DCIAP diz que dossiê desapareceu.
Por Débora Carvalho|13.02.18
O procurador José Góis fez chegar ao processo Fizz - que senta no banco dos réus o ex-magistrado Orlando Figueira - um requerimento em que desmente as declarações prestadas em tribunal por Cândida Almeida, antiga diretora do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Na última sessão de julgamento, Cândida Almeida reconheceu que o dossiê de acompanhamento do processo que deu origem à operação Fizz, que estava na sua posse e que visava o ex-vice-presidente de Angola Manuel Vicente, tinha desaparecido do DCIAP.

"Tratou-se de manifesto lapso da testemunha, tanto mais compreensível quanto é certo que já deixou de exercer funções no departamento há alguns anos", lê-se no requerimento, a que o CM teve acesso.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!