Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Professor fotografava e beijava alunas na sala

José começa a ser julgado por 536 crimes. Dava aulas numa escola EB1 de Beja.
João Tavares 10 de Setembro de 2018 às 01:30
Crianças eram ameaçadas com agressões e castigos para não falarem
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Crianças eram ameaçadas com agressões e castigos para não falarem
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Crianças eram ameaçadas com agressões e castigos para não falarem
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Contratado em 2015 para dar aulas numa escola EB1 do concelho de Beja, o professor primário usava a sua posição para abusar de alunas, todas com menos de oito anos. Nos intervalos, levava as crianças para uma sala da escola, onde estas eram obrigadas a despirem-se e eram acariciadas e beijadas pelo professor. Algumas foram mesmo fotografadas, imagens estas que a PJ encontrou num computador em casa do pedófilo.

José, de 48 anos, começa esta segunda-feira a ser julgado. Responde por 536 crimes, 534 dos quais de abuso sexual de crianças. Pelo facto de envolver menores, o julgamento vai decorrer à porta fechada. As crianças depuseram para memória futura, ao que tudo indica relatando os abusos de que foram alvo por parte do professor. José foi detido em novembro do ano passado, tendo ficado em prisão preventiva.

Da totalidade de crimes, 375 foram praticados sobre a mesma menina. Outros 87 contra outra aluna, bem como mais 69 a uma terceira e outros três, que tiveram como alvo duas outras vítimas. A estes crimes há a somar um de posse de pornografia infantil e um de maus tratos (por ter alegadamente agredido uma das vítimas).

De modo a manter o silêncio das crianças, o professor ameaçava-as com agressões e castigos. O caso acabou por ser denunciado pela mãe de uma das alunas abusadas, que se dirigiu à GNR, tendo o caso transitado para a Polícia Judiciária - que avançou para a detenção.

PORMENORES 
Detido a sair da escola
O professor foi detido por inspetores da PJ a 22 de novembro passado, quando deixava a escola para ir para casa, a 15 km de distância.

Prisão preventiva
A prisão preventiva foi decretada dois dias após a detenção. Na altura, o Ministério Público disse que ficava indiciado por 89 crimes de abuso sexual.

Três a oito anos de prisão
O crime de abuso sexual de crianças – em que as vítimas têm menos de 14 anos – é punível com pena de prisão entre os três e oito anos.

Dezena e meia de alunos
O professor tinha à sua responsabilidade, na escola, segundo o Ministério Público, "dezena e meia de alunos", entre rapazes e raparigas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)