Professora apanha 17 anos por matar noivo

Fernanda alegava que se tratou de um pacto de suicídio, mas que depois perdeu a coragem.
Por João Tavares|14.03.18
Drogou o noivo com comprimidos, depois colocou 35 quilos de gelo seco no quarto e lançou fogo à cama na qual estava deitado Hugo Oliveira. Aconteceu em dezembro de 2016, depois de um jantar de luxo no Ritz, e a professora Fernanda Baltazar começou por dizer à Polícia Judiciária que se tratara de um pacto de suicídio e que depois lhe faltou a coragem. Uma versão que não demoveu o coletivo de juízes do Tribunal de Lisboa de a condenar agora a 17 anos de prisão.

A professora, que depois de ter cometido o crime fugiu para Vila Nova de Gaia – de onde é natural e onde acabou detida –, viu ainda o tribunal condená-la ao pagamento de 60 mil euros à família da vítima. Uma condenação que não agradou às duas partes: anunciaram que vão recorrer da pena.

A condenada, de 36 anos, professora das disciplinas de português e inglês, começou a ser julgada em janeiro. Na primeira sessão compareceu vestida de preto, chorou por diversas vezes e disse que não teve coragem de seguir em frente com o pacto de suicídio que acertara com Hugo. O namorado acabou por morrer na cama do casal, no prédio do Parque das Nações.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!