Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Professora tem medo de vingança

A professora que anteontem atropelou mortalmente Noémia Soares, de 12 anos, que saía de um autocarro junto ao acampamento cigano onde vivia, em Válega, Ovar, teme represálias e pondera não dar mais aulas este ano lectivo.

24 de Abril de 2009 às 00:30
Autocarro frente à escola onde estudava a menina atropelada
Autocarro frente à escola onde estudava a menina atropelada FOTO: José Rebelo

"É uma educadora sensível e competente. Está arrasada", disse a presidente do Conselho Executivo do Agrupamento das Escolas de Ovar Sul. É a mesma responsável que garante que a docente – que lecciona fora da E.B. 2,3 Miguel Oliveira, em Válega – está a considerar deixar de ensinar e teme represálias.

Os colegas de turma e vários professores de Noémia deslocaram-se, durante o dia de ontem, ao acampamento onde residia a menina para pedir à família que não retaliasse contra a professora, já que se tratou de um acidente.

Noémia morreu junto a casa, num local onde não há paragem de autocarros. "As indicações eram para deixá-la aí, por determinação da família", disse fonte da empresa de transportes.

Ver comentários