Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Professores enganados

Um homem bem vestido e bem falante tem atacado na zona do Ribatejo. As vítimas são quase sempre professores. O burlão consegue vender obras de arte sem qualidade por preços elevados. Os docentes ficam ‘hipnotizados’ com a conversa e só demasiado tarde percebem que foram enganados.
23 de Março de 2006 às 00:00
Os quadros comprados pelas vítimas não têm qualquer valor
Os quadros comprados pelas vítimas não têm qualquer valor FOTO: Carlos Ferreira
O último professor a cair nesta burla tem 69 anos, está reformado e foi abordado anteontem à noite, numa rua de Torres Novas. De acordo com um elemento da PSP de Santarém, o homem apresentou-se como ex-aluno, apostado em agradecer tudo o que o docente tinha feito por ele. Com uma conversa fluente e persuasiva, foi explicando que agora era agente da autoridade, que estava destacado na Madeira, encontrando-se de passagem por Torres Novas. Para mostrar o seu reconhecimento, fazia questão de oferecer-lhe um vaso decorativo e uns dentes, supostamente de marfim.
A vítima ainda esboçou uma tentativa de recusa, mas acabou por aceitar as prendas.
Quando foi colocá-las ao carro, o burlão avançou com uma nova proposta. Desta vez, mostrou-lhe um quadro com uma figura em relevo, que disse ser em prata. O valor da obra era de quatro mil euros. Porém, estava disposto a vendê-la por metade do preço.
O professor voltou a recusar, mas ao ver o preço baixar para os mil euros não conseguiu resistir. E passou um cheque. Quando caiu na realidade, já o burlão estava longe. Restou-lhe, por isso, apresentar queixa na esquadra da PSP.
Há um mês, uma professora caiu numa burla semelhante no Cartaxo. A forma de actuação foi o mesma e o falso ex-aluno conseguiu vender-lhe uma pintura sem valor comercial por dois mil euros.
A PSP está a investigar os dois casos, mas até ao momento tem poucos dados sobre o suspeito. Sabe apenas que se trata de um homem moreno, de olhos castanhos e de estatura média.
Ver comentários